quarta-feira, junho 29, 2022
spot_img
HomeEsporteUFA: um time familiar busca seu segundo título ki

UFA: um time familiar busca seu segundo título ki

por: Redação

Equipe do Engenho Novo, campeã em 2009, é resultado da paixão da família de Natal da Rosa e seus amigos pelo esporte

ufa-3x5
Força do elenco e boa rotação é motivo para o Atlético UFA acreditar no título

Em busca do seu segundo título no Campeonato Municipal de Futsal da primeira divisão, o Atlético UFA, uma das mais antigas equipes em atividades nas competições oficiais de Barueri entra em quadra, no Ginásio José Correa, neste sábado, 29/10. Sempre chegando perto nas última temporadas, o time do Engenho Novo quer repetir a conquista de 2009, quando venceu o Rhotoplas na final.

dsc_0623
William Negão, implacável e leal

Para chegar à decisão do campeonato a equipe do UFA fez uma campanha bastante regular, passeando pelas posições intermediárias da tabela, porém nunca fora da zona de classificação para o mata-mata. Para tanto se fez valer de um elenco com inúmeras opções no banco e que pouco sofreu com ausência de atletas, ao contrário das maioria dos seus oponentes. Se teve duas derrotas, venceu confrontos importantes contra adversários diretos na luta pelas vagas na fase final.


Por conta dessa variedade de opções e da qualidade do elenco, o técnico Diego Sol afirma não ter uma equipe considerada base, escalando o time de acordo com o momento de cada jogador e das características dos adversários. Os destaques do time, além da forte rotação, têm sido o goleiro Lucas e o fixo William Negão. Esse último comanda o time dentro da quadra e é visto pelos adversários como um jogador muito leal, apesar de sua força na marcação. Importante frisar que o time não mudou nas duas últimas temporadas e que jogadores como Maicon e o goleiro Mazola estão no UFA há mais de cinco anos.

Saiba mais do adversário: Ponte Preta

História

A historia do Atlético UFA se confunde com a da família Rosa em Barueri. Eles chegaram ao Engenho Novo em 1982, vindo do Jardim Padroeira em Osasco, onde já se organizavam como uma equipe familiar, para disputas amistosas nas quadras das escolas da região. Instalados por aqui não abandonaram a paixão pelo futsal e, comandados pelo chefe da família, sr. Natal de Rosa, continuaram a jogar os chamados jogos “contra”, que lotavam as quadras nos finais de semana.

Goleiro Lucas bate o pênalti decisivo na semifinal
Goleiro Lucas bate o pênalti decisivo na semifinal

Depois da criação do campeonato oficial de futsal em Barueri, pelo então AET (Assessoria de Esportes e Turismo), em 1986, o sr. Natal decidiu que o time da família deveria entrar na disputa. Assim, em 1988, nascia o Atlético UFA, fundado por ele e seu filho José Roberto Rosa, até hoje no comando da equipe. O que muitos não sabem é que o UFA do nome é uma sigla que traduz o ideal que originou o time. União, Famílias e Amigos, já que o elenco principal era formado por filhos e genros do sr. Natal, além de amigos da família.

Ainda ano de fundação o UFA disputou o rebolo e consegui uma vaga na segunda divisão, à época chama de primeira, e desde então disputou os campeonatos municipais ininterruptamente, tornando-se a equipe com história mais longa nas disputas oficiais de Barueri. Em 1994, com a reestruturação do campeonato, o time foi levado para a nova primeira divisão, de onde saiu apenas em 2006, por ter dado WO no ano anterior. Segundo Zé Roberto, essa queda se deve ao seu afastamento da direção em 2005, por conta de um acidente que sofrera.

Em 2006 o Atlético UFA vence a segunda divisão e volta à elite do futsal de Barueri. Desde então tem terminado sempre nas primeiras colocações. Seu maior feito foi em 2009, quando venceu o Rhotoplas e se tornou campeão barueriense, Já no ano seguinte foi vice-campeão do torneio Intercontinental, disputado em Santana de Parnaíba pelos campeões municipais de toda a região.

Zé Roberto afirma que, por ser uma equipe familiar, sua torcida é pequena e não vai além dos amigos e familiares dos atletas, e que não vê ninguém como um rival especial. A completa dizendo que a semiprofissionalização do futsal em Barueri dificulta a formação de equipes com essas características e competitiva ao mesmo tempo, e que só consegue levar adiante esse sonho do sr. Natal de Rosa com a ajuda de colaboradores e patrocínios, como o Prof. Paulo e o Despachante Cardoso.

[sam_ad id=”21″ codes=”true”]

 

 

 

 

Postagens Relacionadas
- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!