sexta-feira, abril 19, 2024
anuncio
HomeGerson PedroPolarização na câmara de Barueri racha até o clube das luluzinhas

Polarização na câmara de Barueri racha até o clube das luluzinhas

por: Redação

Compartilhe esta notícia!

E não é que quem foi defender o vereador acusado de atacar uma vereadora foi justamente outra vereadora. Pera.

E o clima continua quente

Pois é, meus considerados leitores, a situação lá pelas bandas do espetaculoso Parlamento 26 de Março continua tensa e, ao que tudo indica, a coisa promete ficar ainda pior na medida em que as eleições se aproximam. Vai ser, como diziam os mais antigos, uma briga de foice no escuro, um verdadeiro salve-se quem puder, tudo em busca dos cobiçados cargos de prefeito, vice-prefeito e naturalmente de vereadores. E pasmem, todos os candidatos estão jurando de pés juntos que só almejam ser guindados aos cargos para estrita defesa dos interesses da população e, para tanto, necessitam dos preciosos votos. (risos discretos)

O salário de um vereador

Bem, tem muita gente que não sabe qual será o valor mensal que um nobre vereador vai receber a partir da próxima legislatura, certo? Pois então, fiquem sabendo que, por força de lei, a atual legislatura já votou e aprovou a bagatela, a “merreca” de 19 mil reais para cada um dos lídimos representantes do povaréu de Barueri. Mas afinal eles merecem por tanta dedicação, carinho, respeito e amor pelo próximo, não é? Em tempo, nunca é demais lembrar que a grande maioria daqueles que vão ajudar a eleger os iluminados representantes do povo não ganham mais que 2 mil reais por mês para sustentar suas famílias. Mas isso não vem ao caso, pois a vida é assim com cada macaco no seu galho e vida que segue.

Uma pequena reflexão sobre salários

Quando se fala em custos essenciais de uma população, é importante traçar um paralelo com a renda das pessoas, para entender mais a respeito do poder de compra dos trabalhadores em um país. Portanto, em 2022, o salário mínimo no Brasil era de R$ R$ 1.212,00, enquanto o valor médio da cesta básica entre as capitais foi de R$ 705,55. Isso significa que uma família que ganha um salário mínimo precisa gastar cerca de 58,1% do rendimento apenas para adquirir os alimentos básicos necessários para a subsistência. Deu para entender ou preciso desenhar?

E o vereador Fabião quer saber

Pois é, o vereador Fabião, que já se apresentou como pré-candidato a prefeito de Barueri nas próximas eleições, e que nunca é demais lembrar que até a bem pouco tempo fazia parte das hostes do prefeito Rubens Furlan, agora sabe-se lá a que título (risos discretos) resolveu apurar algumas coisas que provavelmente ele desconfia que tem “gato na tuba.” O “baguio” é aquele da doação de uma área de 32 mil metros feito pela Zitune à prefeitura de Barueri, à título sabe-se lá do que, né. Como diria o cantor e poeta Ataulfo Alvares, “Laranja madura, na beira da estrada, tá bichada ou tem marimbondo no pé.” Hummmmm!

Quer que expliquem tudinho

Na fala do ora destemido vereador Fabião, que provavelmente incorporou o detetive Charlie Chan, ele quer saber tintim por tintim como se deu uma certa desapropriação em favor da empresa Zitune, que nas suas palavras envolve a vultosa quantia de 80 a 100 milhões de reais e, para tanto, ele garante que vai investigar a fundo. Como essa história ainda vai render vários capítulos extremamente “calientes”, então eu peço para os meus caríssimos leitores aguardarem pelo desenrolar da novela!

Rachou o clube das luluzinhas

O calor político que está instalado em Barueri, ao que tudo indica, está causando uma cizânia no clube das luluzinhas que ocupam alguns gabinetes do glorioso Parlamento 26 de Março. Como todos tomaram conhecimento, naquela recente barafunda ocorrida, onde edis preocupados em se manterem com seus cargos cujos modestos salários vão perfazer algo em torno de 19 mil reais, pularam de um barco para outros. Então, nas famigeradas mídias sociais muito se falou de um suposto ataque desrespeitoso do vereador Hélio Jr a sua colega, a também vereadora e médica Cláudia Marques. Quem defendeu o Hélio Jr sem fazer espírito de corpo, sem fazer espírito de gênero? A senhora vereadora Tânia Gianelli, que até ironizou a sua colega Cláudia na defesa exacerbada ao seu colega Hélio Jr.

E ainda tirou um sarrinho

Dizendo que se sentia no direito de falar, a nobre representante do povo enfatizou que assistiu por cinco vezes o acontecido durante a sessão, uma vez que na hora do ocorrido ela havia se ausentado, e que não viu nenhuma ofensa por parte do edil Hélio Jr. á vereadora Dra. Cláudia. De quebra, ainda tirou um sarrinho quando afirmou que quem a massacrou de fato teria sido o próprio marido, o médico e ex-secretário da saúde Dr. Antônio. Ainda não satisfeita com as suas próprias palavras, a vereadora de quebra citou que o vereador Hélio Jr., em função da boataria, correu o risco de ser agredido nas ruas e coisa e tal, a exemplo de uma certa novela da Globo onde uma mulher havia sequestrado uma criança. (risos discretos) E a vereadora Tânia ainda deu uma cutilada no vereador presidente Toninho Furlan, dizendo que quem ofendeu alguma mulher foi ele, que a chamou de cavalo e propôs até mesmo a colocação de ferraduras na mesma. Misericórdia, né, minha gente!

No estilo bateu levou

O vereador e presidente da augusta casa de leis de Barueri também fez questão de ir para a tribuna e de lá mandou bala, especialmente na mulher que segundo a vereadora Tânia havia sido esculhambada por ele. “Não tiro uma palavra, essa mulher, que foi assessora do vereador Thiago, é mais grossa que toco de açougueiro, mal educada, mal amada, e eu não tenho culpa disso ” enfatizou Toninho. E mais, o parlamentar fez questão de destacar que quando a mulher em tela maltratava, humilhava as pessoas na Câmara e nos outros espaços públicos onde trabalhou, a vereadora Tânia não aparecia para defender a população com a ênfase com que ela hoje está defendendo a tal mulher.

A vereadora Mary se decepcionou

A vereadora Mary Rodrigues assomou à tribuna para externar a sua tristeza com o discurso e com a postura do seu colega vereador que também gosta de se apresentar como pastor Reinaldo Campos. Dizendo com todas as letras que não quer se transformar em uma política de verdade (sic), que quer, sim, trabalhar pelo povo. “Se fazer política é pregar ódio, com ofensas, com baixarias, com fake news, eu não quero”, disse ela entre outras coisas. “A sua fala me magoou, pois eu faço parte de um governo que não defende aborto, que não é contra a família”, disse ela dentre outras coisas, rebatendo aquilo que Reinaldo Campos declarou na última sessão legislativa como uma das justificativas para o fato de ter abandonado o grupo do prefeito Rubens Furlan, mudando-se de mala e cuia para o lado do ex-prefeito Gil Arantes.

Parente é serpente mesmo

Mais ou menos no estilo daquele famoso filme italiano “Parente é Serpente”, o nosso considerado presidente Toninho Furlan deu umas belas chibatadas no seu primo Fabiano Furlan, que postou um vídeo juntamente com uma pessoa de nome Mauro, onde no tal vídeo esse indivíduo sugeria que o Fabiano seria o único Furlan que presta. Mas na concepção do presidente Toninho Furlan, o seu primo Fabiano não passa de um caronista que não tem trabalho nenhum na cidade, pois ele simplesmente aproveitou-se de uma oportunidade que foi dada a ele e o mesmo foi se enveredando nas próprias mentiras até afogar-se nelas, e diante disso ele “vazou”, literalmente vazou, afirmou Toninho. “Eu não vou dar crédito para esse tal Mauro, um sujeito que tem a coragem de parar diante de uma borracharia e colocar a mão no peito e cantar o hino nacional pra pneu. Tenha a santa paciência, eu não vou dar bola pra ele, muito menos pra Fabiano” (risos discretos)

Ninguém quer dormir com o inimigo

Parafraseando o inigualável Nelson Rodrigues, que criou a expressão “óbvio ululante”, é claro que os apaniguados daqueles que eram indicados em cargos pelos doutos vereadores que abandonaram o navio iriam para as calendas gregas, iso já era ipso facto! Mas aí o vereador Fabião resolveu sair em defesa dos mesmos dizendo isso e aquilo e que em Barueri, essa atitude que deveria ser considerada normal por fazer parte da democracia, não funcionava dessa forma. “Os vereadores que tomaram posição contra o atual governo foram retaliados de uma forma absurda. Qual a razão deles terem sido demitidos”, disse ele de forma angelical e quase inocente (o grifo é nosso)

Seria um favor que estaria sendo prestado?

No auge da sua melíflua fala, o inconteste orador que confessou gostar de falar de improviso e não de escrever os seus discursos, sentou o “reio”, afirmando que o favor prestado pela administração aos apaniguados dos vereadores eram pagos com o dinheiro público e que foram demitidos apenas por não concordarem com o que pensa o atual prefeito. Humm! Aí, o vereador Wilson Zuffa, não se conteve e, educadamente como lhe é peculiar, solicitou um aparte ao vereador Thiago Rodrigues, que fez uso da palavra na sequência e indagou a Fabião se o mesmo fosse candidato a prefeito e um assessor do gabinete dele declarasse que iria apoiar ao Beto Piteri, se ele Fabião o manteria no cargo ou o exoneraria. (risos discretos) PS.: O vereador Fabião deixou claro que tinha e ainda tem pessoas indicadas por ele na atual administração.

Postagens Relacionadas

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!