quarta-feira, agosto 10, 2022
HomeGerson PedroParece que vereadores não aguentam esperar a pessoa morrer para batizar ruas

Parece que vereadores não aguentam esperar a pessoa morrer para batizar ruas

por: Redação

O negócio é colocar ou trocar nomes de ruas e prédios, homenageando ilustres desconhecidos, especialmente os que têm famílias numerosas que possam reverter em votos futuros

De volta ao Parlamento 26 de Março

Salve amados leitores. Depois das sucessivas vindas a Barueri do neto governador Rodrigo Garcia, já maldosamente qualificado por alguns fofoqueiros de plantão como “arroz de festa”, voltamos o nosso olhar crítico contundente para os inquilinos do inenarrável Parlamento 26 de Março, onde se presume devam ser tratados os mais importantes movimentos e deliberações em favor dos habitantes dessa impoluta comuna.

Festival de homenagens inócuas

Mas, ao que parece, os doutos representantes do povo, semelhante a legislaturas anteriores ao longo de muitos anos, adoram ficar colocando ou trocando nomes de ruas e prédios públicos, homenageando ilustres desconhecidos, especialmente aqueles que têm famílias numerosas que possam reverter em votos em futuros pleitos. Muitos desses homenageados nunca fizeram nada de relevante pela cidade, mas mesmo assim acabam tendo seus nomes aprovados depois de muitas “babações” de ovos por parte dos autores das proposituras e da conivência de seus pares. Minha Nossa!

Homenagens em vida

Mas para o vereador Rafa Carvalho, que aparteou ao seu colega não menos nobre que discorria sobre as tais homenagens, não teve dúvidas em deixar claro que na sua opinião, essas honrarias deveriam ser prestadas para tais figuras “ tão importantes” não post mortem e sim em vida. Imaginem só amados leitores, o bizarrismo que seria. Enfim, gosto é gosto né, como se não bastassem certos títulos de cidadãos beneméritos e congratulações aleatórias. (o grifo é nosso)

Cotas de 10% para ex-presidiários

Segundo a justificativa, apresentada pelo vereador Kaskata, a proposta prioriza o que é mais relevante para que o egresso do sistema prisional e da Fundação Casa encontre a sua reinserção na sociedade através da educação e propõe que 10% das vagas da Etec e da Fatec sejam destinadas a essas ilustres pessoas de Barueri. Hummmmmmmm, a proposta é melhor do que ficar trocando ou colocando nome de ilustres desconhecidos em ruas e próprios públicos.

Rasgando seda descaradamente

Mas minha gente, assistir a uma sessão legislativa especialmente aqui na cidade de Barueri é um exercício um tanto quanto complicado devido ao excesso de rapapés e salamaleques proporcionados pelos parlapatões ao fazerem uso da palavra na tribuna ou nos apartes. Nessa última sessão, que não foi diferente das demais, foi um tal de rasgar seda entre o nobre vereador José de Melo com os também não menos tão nobres edis Rodriguinho, Rafa e Kaskata, que enrubesceria qualquer cidadão comum dotado de pudicícia por menor que seja. Hi,hi,hi, hi.

Deus já deve estar de saco cheio

O velho samba do Almir Guineto, por mais incrível que possa parecer, cai como uma luva nas atitudes e falas de muitos dos inenarráveis ocupantes da gloriosa Câmara Municipal da impoluta Flor Vermelha que Encanta. Não são poucos os edis que transformam as sessões em verdadeiros atos litúrgicos, de tanto que invocam o nome de Deus, de Jesus Cristo, mesmo nas suas manifestações menos ortodoxas. Aparentemente, Deus já deve estar literalmente de saco cheio de tanto ouvir seu nome ser citado como se ele fosse um reles cabo eleitoral. Cruzes!

Centros comunitários fechados

O vereador Kaskata não poupou críticas aos centros comunitários da cidade, que são terceirizados e que têm por hábito ficarem fechados, especialmenteaos finais de semana. Mas o que deu para sentir é que a bronca maior está na terceirização, né, queridos leitores. Em especial em sua manifestação ele citou um localizado na rua Olga, que segundo as suas palavras está abandonado. Chiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!

Área de Lazer ou Centro Comunitário

Hummmmmmmmmmm. Esse humilde escriba não pode deixar de perceber um certo clima de eletricidade extática no ar durante o pronunciamento do neófito edil Hélio Jr, que assomou a tribuna para agradecer às promessas do alcaide-mor Rubens Furlan ao atender uma sua propositura indicando a criação de um centro comunitário ali no Jardim São Pedro para o próximo ano. Até aí, tudo beleza, porém…

Parece que egos foram feridos

Salvo melhor juízo, a propositura do Hélio Jr não foi tão bem recebida assim, pelo menos no que se refere à não menos nobre vereadora Cris da Maternal, que o aparteou para lembrá-lo de que antes, aquele local era uma área livre e “ela” sempre lutou pelo espaço, e que teria entrado com indicações para benfeitorias, conseguiu brinquedos de parquinhos, e que o bairro em questão foi onde ela conseguiu o maior número de votos. Mas a vereadora fez questão de denominar o local como área de lazer. Inegavelmente houve uma troca de farpas não obstante o uso de anestesia de ambas as partes para não doer tanto. (Risos discretos)

E já que falamos no vereador Hélio Jr

O insigne vereador deu o ar da graça ao comparecer no último Samba na Praça, que podemos afirmar com toda certeza que é um dos mais populares e movimentados eventos da Secretaria de Cultura e Turismo e reúne milhares de pessoas. Em tempo, o edil literalmente se despiu dos seus trajes de parlamentar, e de chinelas de dedo (sandálias da humildade), bermudão, fez questão de estar onde o povo está. É, o povaréu leva isso em consideração, que os demais não se esqueçam disso.

Criticou os críticos

De sua parte, o vereador Thiago Rodrigues, que também é neófito nas lides legislativas, pois afinal cumpre o seu primeiro mandato, teceu severas críticas aos pretensos críticos de plantão que pululam nas redes sociais fazendo comentários aleatórios e politicagens, segundo ele, irresponsáveis. Thiago lembrou ainda que algumas dessas figuras tiveram a oportunidade de fazer algumas coisas quando ocuparam cargos e nada fizeram e agora se sentem no direito de criticar. Hiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!

São pessoas do mal

Thiago classificou esses personagens como pessoas do mal, que fazem críticas rasteiras e maldosas, invertem tudo o que ouvem, o que leem, denigrem as coisas e não tem o mínimo de respeito com o próximo. “Essa pessoa não honra nem mesmo dentro das suas próprias casas”, finalizou. O ínclito vereador falou, esbravejou, insinuou, mas não deu os nomes das tais figuras. Uma pena!

Brincando de ser vereador

Quem está mordido com as atitudes de alguns secretários de plantão da prefeitura de Barueri é o vereador Allan Miranda. No seu entender, os edis não estão “brincando de ser vereadores”, eles aprovam leis que são sancionadas pelo prefeito e depois deixam de ser cumpridas, ficam paradas e não funcionam por falta de competência ou falta de vontade de quem teria que as fazer cumprir. Não queremos ficar aqui com caras de tontos enxugando gelo. Hiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii.

Que leis são essas?

No caso, a situação prende-se ao que às leis que se referem à inclusão de sessões de cinema adaptadas a autistas e ele vereador teve que ir atrás para que a mesma fosse executada. A outra lei que está engavetada prende-se à inclusão do símbolo do aspecto autista nos ônibus e também a de sinalização de solo. “Pasmem, estou tendo que fazer uma Indicação para exigir que as leis sejam cumpridas, pois os departamentos competentes não cumprem com os seus papeis.” Em tempo, as secretarias omissas na questão são as de Indústria e Comércio e Mobilidade Urbana.

Casa lotérica ou Casa de Caboclo?

A futura criação de uma casa lotérica no Parque Imperial está virando um caso de “Casa de Caboclo”. Ocorre que dois nobres edis estão reivindicando para si os louros pela tal conquista e o “causo” está dando pano para mangas. Na sessão do dia 19 de abril do corrente ano, o vereador Rafa Carvalho foi à tribuna e se auto-elogiou por ter conquistado a casa lotérica, mas foi contestado por seu par, o também vereador Levi Jânio, que auferiu para si o galardão da conquista da “preciosa” casa de jogatinas. O fim da história. que na verdade não se findou ainda, foram muxoxos de ambos os lados. Eita, essa história ainda vai render.

Quer aumentar a área do município

Pelo visto, amados leitores, o caloiro vereador Levi Jânio deve ter incorporado o espírito do bandeirante Raposo Tavares, pois o mesmo aparentemente quer ampliar as terras de Barueri, anexando um tal de Bairro Chapéu de Couro, que pertence a Osasco mas faz divisa com o Parque Imperial. Segundo o edil, no local existe algo em torno de oitocentas famílias, e ele já teria inclusive mantido gestões junto ao prefeito Rogério Lins e também com o presidente da câmara osasquense, mas os mesmos prudentemente estão levando o tal assunto expansionista em banho maria. (Risos discretos)

Postagens Relacionadas

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!