domingo, junho 26, 2022
spot_img
HomeAndré do ValleO elástico, a bexiga, você e a infalível fórmula da felicidade

O elástico, a bexiga, você e a infalível fórmula da felicidade

por: Redação

Tantos já tentaram escrever a fórmula da felicidade, acham-se capazes de ensinar a ser feliz. André do Valle entra nessa conversa

André do Valle, cidadão barueriense, é ator e roteirista. Como teatro-educador, consegue comunicar-se ao mesmo tempo com crianças, adolescentes e adultos – o que lhe dá a capacidade de tratar com leveza e bom humor os assuntos mais difíceis, complexos e polêmicos.
André do Valle, cidadão barueriense, é ator e roteirista. Como teatro-educador, consegue comunicar-se ao mesmo tempo com crianças, adolescentes e adultos – o que lhe dá a capacidade de tratar com leveza e bom humor os assuntos mais difíceis, complexos e polêmicos

Sim, finalmente você aprenderá, em poucos passos, como ser feliz a partir de já!!!

Quem não conhece aquela famosa e desgraçada fábula do monge que afirmou: “As três regras da felicidade são: prestar atenção, prestar atenção e prestar atenção?”. Pede  a uma criança que sofre abusos frequentes em sua própria casa para prestar atenção na sua vida e vê se funciona…

Outro jargão bastante conhecido, principalmente entre os velhotes e os tiozões é o “Felicidade não existe. O que existe são momentos felizes”. Bom, quanto a esse, tirando o erro de concordância, pelo menos deixa-nos uma questão: O que é felicidade?

Você tem um elástico aí perto? Então pega. E não volte a ler até que tenha encontrado um, entendeu?!

Eu nem vou perguntar se você já o esticou. Quantas vezes ele ficou maior? Agora deixe-o no máximo de seu tamanho!, a ponto de ele quase quebrar! Por quanto tempo cê acha  que esse objeto aguenta ficar assim sem perder a elasticidade? Sem afrouxar? Repara que ele não diminui, porque ninguém volta a ter o tamanho inicial depois de crescer. Não é isso?

Não é isso. Caso tenha uma bexiga, dá uma soprada nela. Se por alguma razão você estiver sem nenhuma, inspira profundamente e sente os seus pulmões encherem. Espero que você tenha compreendido que esticar não é expandir.

Quase ninguém percebe, mas o elástico não muda de tamanho. Fica mais longo, mas afina; como a conta bancária de quem se entrega ao consumismo; como falsos inteligentes, que se vangloriam dos contatos superficiais que travam com múltiplas experiências, só que não se alargam com elas. O elástico fica frouxo feito quem se dá a qualquer tipo de prazer ou de sacrifício ou de qualquer coisa que o desgaste além da conta e, ao perceber-se desgastado, culpa o mundo e não se responsabiliza pela sua falta de zelo para consigo próprio.  (Aí vai buscar o colinho de Deus…)

A única razão pela qual a bexiga sim muda de tamanho é que ela vai preenchendo o seu interior. E, tão importante quanto, o mesmo buraco que a faz sugar, também pode repelir.

A grande questão é saber quando nos esticamos e quando expandimos.

O que falta ao elástico pra ser bexiga? Um lado de dentro, um interior. A bexiga, que possui o lado de dentro, também é elástica e pode ser usada como tal. Um desperdício, no entanto, desprezar seu interior.

As galinhas, que geralmente vivem no interior também usam apenas um buraco, tanto pra receber o pinto do galo quanto pra expelir o pinto do ovo. Mas uma galinha não tem algo que só há em nós.

Você sabe imitar uma galinha? Porque ela jamais imitará você. Uma galinha está programada pra seguir todos os passos de uma vida de galinha. Esse animal simplesmente executa o que a sua natureza manda.

Uma vez eu estava numa rede, em casa de praia com alguns amigos, e comigo uma mulher que namorei. Não sei o que houve ali; estávamos apenas deitados, barulhinho de gancho rangendo, balanço devagar, peles em contato… De repente me bateu um desejo de que aquele instante não acabasse.

Felicidade é isso. É quando intensamente queremos que o tempo pare ou demore muuuito mais a passar. A minha, naquele dia, estava na rede, na mulher e no clima de verão. Mas a sua? Talvez você nem goste de rede. Ou de verão, ou de mulher…

Siga os conselhos dos seus amigos, familiares, de quem te ama, dos escritores de autoajuda e, assim, aja diante de tudo isso exatamente igual a galinha faz sob a natureza dela. Viu?, você sabe imitar uma galinha! …

A natureza humana não busca, como as dos outros seres vivos, apenas a sobrevivência e, sim, a expansão. Outro dia alguém me falou: “Ah, eu queria fazer a faculdade A. Mas vou me formar em B, porque sempre foi o sonho dos meus pais”.

Ao agir como essa pessoa, em qualquer setor da sua vida, por mais promessas que te sejam feitas, você fracassará. Será uma bexiga vestida de elástico; um humano reduzido à inconsciência! Siga qualquer dogma, doutrina ou receita e viverá esticando, sem expandir!

Pra crescer como bexiga, sua única chance (e olha que eu disse ‘chance’, não ‘garantia’) é inflar-se com o que te apetece. É construir cada instante da sua vida de um jeito que você deseje que ele não acabe. E a ninguém mais é dado o direito de fazer isso por você!!! Assim como pra ninguém além de ti, você pode fazer o mesmo!

“Se o que te apetece é esforçar-se, esforce-se. Se é repousar, repouse. Se é lutar, lute. Se é fugir, fuja.  Friedrich Nietzsche – “Assim Falou Zaratustra”.

 Mas e quando o que apetece alguém é cometer um crime?, é oprimir pessoas ou multidões?

Relaxa, que isso é assunto pra alguma outra crônica. Até o mês que vem!!

Ah, espero que você consiga, a partir de agora, construir instantes tão bons pra si a ponto de desejar que o mês que vem não chegue nunca!!!

Postagens Relacionadas
- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!