terça-feira, agosto 16, 2022
HomeCidadeBarulho de queima de fogos dispara protestos nas redes sociais

Barulho de queima de fogos dispara protestos nas redes sociais

por: Redação

Reclamações lembram que lei municipal do ano passado proíbe estampidos em áreas urbanas. Explosões foram gravadas a quilômetros de distância

O barulho provocado pelo show pirotécnico realizado na noite de sexta-feira, 24/6, em comemoração ao dia de São João Batista, padroeiro de Barueri, provocou uma onda de protestos e debates na redes sociais. A queima de fogos ocorreu na Praça dos Estudantes, entre o ginásio José Correa e a Câmara Municipal e durou cerca de 30 minutos.

Moradores se queixaram publicando vídeos gravados em todas as regiões da cidade e até fora dela. Muitos destacaram que há uma lei municipal que proíbe a prática. Também houve quem defendeu o espetáculo alegando que ocorre apenas uma vez por ano ou que o barulho não foi tão forte.

A lei municipal 2.795, de 2021, proíbe a explosão de fogos de artifício próximo a áreas urbanas, abrindo exceção para locais a pelo menos 2 quilômetros de distância de zonas residenciais. Ainda assim, é necessário pedir autorização específica para as autoridades locais.

A lei foi criada para garantir o sossego público e está vinculada a outra, a 2.310, de 2013, que determina as regras para controle de ruídos, sons e vibrações na cidade. Um dos motivos para a regulamentação foi evitar o transtorno aos animais domésticos, que sofrem com a explosões.

Mal terminou a apresentação, as redes sociais foram inundadas com vídeos de reclamação. Os sons podiam ser ouvidos a quilômetros de distância, como no Jardim Paulista e na Cruz Preta. Também apareceram registros de Carapicuíba e Jandira. Vários lembravam a lei de 2021 e registravam a localização de onde gravaram as explosões. Outras cobravam uma reação da prefeitura, que estaria desrespeitando uma lei criada pelo próprio município.

Entre os defensores do show, manifestou-se o vereador Wilson Zuffa. Em resposta à queixa de uma moradora, ele afirmou que estava no local e que não havia nenhum morteiro ou rojão, apenas fogos de efeito visual.

A prefeitura ainda não se manifestou sobre a questão.

Postagens Relacionadas

1 Comentário

  1. Vale destacar que neste caso houve uma grave infração também a lei estadual 17.389/2021 sancionada pelo ex-governador João Doria em julho de 2021, que proíbe a comercialização, transporte e soltura de fogos de artíficio com estampido em todo o estado de São Paulo. Quanto ao ilustríssimo vereador e obreiro da Iurd da Cruz Preta Wilson Zuffa, estranho ele defender que não houve estampido. Essa defesa só pode ser uma das três possíveis causas: porque ele não estava presente, chegou depois que acabou ou não tem palavra, pois o mesmo que defendia a criação da leia municipal. E agora, com que moral que a prefeitura vai fiscalizar quem não cumpre a lei? Será que vai mentir que existe uma lei federal que os obriga a pertubarem o sossego e ignorarem lei em vigência, como fizeram ao definirem cobrança da taxa de lixo em dezembro passado e após reclamações a mesma foi revogada sob o pretesto de que a lei federal que obrigava a prefeirua a fazer a cobrança, mas como eram bonzinhos, iam revogar porque a a cidade não precisava? Hum, vamos esperar as desculpas ou o silêncio de quem não tem moral nem para reclamar de barulho dentro da própria casa, quanto mais em uma cidade. Barueri, cidade sustentável e inteligente… quanto convém aos fortes!

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!