sábado, abril 20, 2024
anuncio
HomeEspecialEspecialista da Faculdade Santa Marcelina alerta; Álcool - hipertensão e um desencadeador...

Especialista da Faculdade Santa Marcelina alerta; Álcool – hipertensão e um desencadeador da doença

por: Redação

Compartilhe esta notícia!

Especialista aponta que o hábito de consumir álcool todos os dias aumenta pressão arterial. Estudo foi feito com mais de 19 mil pessoas saudáveis e sem histórico da doença

Martim Elviro de Medeiros Junior, médico de família e docente do curso de Medicina da Faculdade Santa Marcelina realizou alerta sobre o perigo do consumo de álcool e a relação com a pressão arterial.

Uma análise de estudos com mais de 19 mil pessoas saudáveis e sem histórico de hipertensão revelou que os níveis de pressão arterial aumentam mais rapidamente em adultos que consomem álcool dentro de sua rotina.

A pesquisa apontou uma ligação entre o aumento da pressão arterial sistólica (é aquela medida durante a contração do coração – força exercida contra as paredes das artérias) e a quantidade de bebida alcoólica ingerida, inclusive entre aqueles com baixo consumo diário, quando comparados com os não consumidores.

Vamos entender melhor:

Relação entre o consumo de álcool e a saúde cardiovascular

A relação entre o consumo de álcool e a saúde cardiovascular tem sido um tema de interesse e pesquisa ao longo de décadas. Dentre os diversos efeitos do álcool sobre o organismo, um dos mais estudados é seu impacto sobre a pressão arterial.

A pressão arterial sistólica (PAS), que é a pressão nas artérias durante a contração do coração, é um importante indicador de saúde cardiovascular e tem sido associada ao consumo de álcool de diversas maneiras.

Neste artigo, exploraremos a ligação entre o aumento da pressão arterial sistólica e o consumo de álcool, destacando os mecanismos subjacentes, os fatores de risco e as implicações para a saúde.

Álcool e Pressão Arterial Sistólica: Uma Visão Geral

Estudos epidemiológicos e de pesquisa clínica têm demonstrado uma relação clara entre o consumo de álcool e o aumento da pressão arterial sistólica.

A PAS elevada é um fator de risco importante para uma série de doenças cardiovasculares, incluindo acidente vascular cerebral (AVC) e doença cardíaca coronária.

É importante observar que essa associação não é linear e pode variar de acordo com a quantidade e o padrão de consumo de álcool, bem como com fatores individuais, como idade, sexo e predisposição genética.

Mecanismos Subjacentes

Vários mecanismos foram propostos para explicar como o consumo de álcool pode afetar a PAS:

  1. Efeito Vasodilatador e Contração Reflexa: O álcool tem propriedades vasodilatadoras, o que significa que ele relaxa as paredes das artérias, levando a uma queda temporária da pressão arterial.
  2. No entanto, esse efeito pode ser seguido por uma resposta reflexa do sistema nervoso simpático, que resulta em aumento da PAS.
  3. Aumento do Estresse Oxidativo: O álcool pode aumentar o estresse oxidativo no organismo, o que danifica as paredes das artérias e interfere na regulação da pressão arterial.
  4. Influência no Sistema Renina-Angiotensina-Aldosterona (SRAA): O consumo excessivo de álcool pode afetar o SRAA, um sistema de regulação da pressão arterial, levando ao aumento da PAS.
  5. Ganho de Peso: O álcool é caloricamente denso e pode contribuir para o ganho de peso. O excesso de peso é um fator de risco conhecido para a hipertensão.

Fatores de Risco e Padrões de Consumo

Além dos mecanismos biológicos, vários fatores de risco e padrões de consumo de álcool também desempenham um papel crucial na relação entre álcool e PAS elevada:

  1. Quantidade de Consumo: O risco de desenvolver hipertensão aumenta com a quantidade de álcool consumida. O consumo excessivo, definido como mais de duas bebidas alcoólicas por dia para homens e mais de uma para mulheres, está associado a um maior risco de hipertensão.
  2. Padrão de Consumo: Beber pesado episódico (binge drinking) pode levar a flutuações acentuadas na pressão arterial, o que pode ser prejudicial ao sistema cardiovascular.
  3. Genética: A predisposição genética desempenha um papel importante na forma como o corpo metaboliza o álcool e lida com seus efeitos sobre a pressão arterial. Alguns indivíduos podem ser mais suscetíveis à hipertensão induzida pelo álcool do que outros.

Implicações para a Saúde

O aumento da pressão arterial sistólica devido ao consumo de álcool pode ter implicações significativas para a saúde.

A hipertensão é um fator de risco bem estabelecido para uma série de doenças cardiovasculares, incluindo ataques cardíacos, AVCs, doença renal e insuficiência cardíaca.

Portanto, a compreensão dessa relação é crucial para a prevenção e o tratamento de doenças relacionadas ao coração.

A ligação entre o aumento da pressão arterial sistólica e o consumo de álcool é complexa, influenciada por vários fatores, incluindo a quantidade e o padrão de consumo, predisposição genética e mecanismos biológicos.

É importante que os indivíduos estejam cientes desses riscos e tomem medidas para moderar o consumo de álcool, especialmente se tiverem fatores de risco adicionais para doenças cardiovasculares.

A educação sobre os efeitos do álcool na pressão arterial e a promoção de hábitos de vida saudáveis são passos cruciais na prevenção e no manejo da hipertensão relacionada ao álcool.

Consultar um profissional de saúde para orientação personalizada é fundamental para aqueles que têm preocupações sobre sua pressão arterial e consumo de álcool.

 

Postagens Relacionadas

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!