sábado, janeiro 22, 2022
HomeCidadeSuperlotação, longas esperas e revolta mostram colapso na Saúde de Barueri

Superlotação, longas esperas e revolta mostram colapso na Saúde de Barueri

por: Redação

Onda de gripe e aumento de demanda por nova variante de covid, sem previsão de ampliação do atendimento evidenciam precariedade no atendimento da população

Eram por volta das 9 horas de quinta-feira, 6/1, quando a Guarda Municipal foi chamada para intervir num princípio de tumulto que ocorria no Pronto Socorro Central (Sameb). Houve gritaria, empurra-empurra e muita confusão de munícipes indignados com a demora no atendimento. O problema vinha desde a noite anterior, e as redes sociais registraram queixas de pessoas que passaram a madrugada na espera. Uma mulher relatou ter esperado mais de oito horas para que recolhessem material para um teste de covid. Mas o tumulto no Sameb foi apenas a gota d’água numa situação que se arrasta há meses, piorando a cada dia, no sistema de saúde de Barueri.

PS dos Camargos: exemplo da situação da Saúde de Barueri/Foto: BnR

Em razão da sobrecarga de casos de gripe houve uma grande procura por atendimento nos postos de saúde de forma geral no município. A apuração do Baruei na Rede mostrou que PS administrados por OS não previram o quadro e não aumentaram as equipes de atendimento, o que provocou a alta demora em diversos pontos, sendo os piores o PS Central, o do Jardim Silveira e do Parque Imperial.

Uma leitora contou ao BnR que no dia 3/1 levou a mãe de 74 anos ao Pronto-Socorro Central (Sameb), às 18 horas e foi embora após as 22 horas sem que tivessem conseguido atendimento. “Após feita a primeira ficha, mediram a pressão e a diabetes dela e ficamos aguardando. Passadas umas duas horas, uma enfermeira chamou uns nomes, mas aqueles nomes já haviam sido chamados, então ela estava conferindo quem estava ali”, explicou. “Mais horas foram passando e nada de chamarem minha mãe. Entrei na enfermaria duas vezes e falei com uma profissional. A última me questionou que tinha havido o chamado e não respondemos. Mentira. Ninguém saiu em nenhum momento da espera. Estava tudo desorganizado, atendimento preferencial não existia ali. Um absurdo, e a minha mãe já com seis horas sem se alimentar, sem atendimento, já estava passando mal por causa da diabetes”, se revoltou a leitora, que acabou indo embora sem conseguir atendimento para a mãe.

Quando a pandemia por Covid-19 começou, a superlotação foi um dos principais problemas do sistema de saúde, porém, dois anos depois, com uma considerável queda de casos, uma nova onda de problemas respiratórios parece ter evidenciado que a situação da saúde em Barueri em nada melhorou com a experiência. Relatos sobre poucos profissionais nas unidades de atendimento, desorganização e informações desencontradas são tantos que não é incomum queixas de todo o tipo chegarem ao BnR.

Na noite de 4/1, outro depoimento de problemas com atendimento, dessa vez no PS do Engenho Novo. “Estou indignada aqui. Não tem fila, é um sistema aleatório. Peguei a senha as 18h01, passei na triagem às 18h55 e ainda estou aqui aguardando para passar em consulta”, desabafou outra leitora às 22 horas. A prefeitura de Barueri adotou um sistema de consulta de espera de atendimento online, mas aparentemente não tem funcionado com satisfação. “Colocam no site 36 minutos para atendimento no PS do Engenho, sendo que na verdade devem ser 360 minutos. Eu entendo que está cheio, muita gente gripada, mas mentir no site pra “mostrar” inverdades é um absurdo”, reclama a leitora, que pouco antes das 23 horas ainda aguardava atendimento.

Nas redes sociais, uma moradora relatou que esperou das 18 horas até as 2h30 para a realização de coleta de material para o teste de covid e, sem conseguir fazer o exame, desistiu e voltou para a casa sem diagnóstico, após mais de oito horas de espera.

O que diz a prefeitura

O BnR questionou a prefeitura por meio da Secom, sobre o que a administração pública tem a dizer a respeito da situação de superlotação; desencontro de informações sobre o atendimento e tamanha demora, ainda que para pacientes idosos e com comorbidades. Há previsão de medidas que possam mudar o quadro atual de atendimento médico?

Em nota, a administração disse que as unidades de Saúde do Município de Barueri assim como os demais equipamentos de Saúde, sendo eles públicos ou privados, têm recebido um aumento bastante expressivo do volume de pacientes, especialmente em decorrência do surto de Influenza e do novo aumento dos casos de Covid -19, o que tem comprometido o tempo de atendimento”. 

A prefeitura garantiu que está “mobilizando todos os recursos e equipes para garantir um atendimento com qualidade e segurança aos pacientes que nos procuram”. A nota finaliza dizendo que “reforçamos ainda que desde o início da pandemia o Município de Barueri, por meio da Secretaria de Saúde, não mediu esforços para encarar mais este desafio. Foram implantados novos fluxos de trabalho e constantemente estamos em busca de aprimoramento”.

Uma outra leitora resumiu a sensação de quem procura por atendimento médico em Barueri: “Saúde de primeiro mundo em que precisamos esperar das 10 horas da manhã até as 16h50 e ainda assim não ser atendido?”.

Postagens Relacionadas

3 Comentários

  1. Essa desculpa que aumentaram os casos de Covid e por causa da gripe H3N2 é uma grande balela. Antes mesmo desses novos casos o atendimento na rede pública estava um caos. Longas esperas com mais de 6 horas, sou testemunha viva (ainda bem) disto. O Prefeito esteve no Pronto Socorro e prometeu até demitir quem não estivesse trabalhando direito, trocar a administração e cadê o que foi prometido? Continua tudo a mesma coisa e ainda pior. Algo tem que ser feito com a máxima urgência pois pagamos nossos impostos, somos cidadãos Baruerienses e contamos com a Administração Pública para fazer valer os nossos direitos. Sem contar ainda, com a falta de remédios nas UBSs e Farmácia Central. Há 4 meses não tem o básico do básico, por exemplo Omeprazol. Isso é um absurdo. Prefeito Rubens Furlan, nossa deputada Bruna Furlan, façam alguma coisa em prol de nós munícipes. Estamos “gritando” pedindo socorro. Por favor, prorizem a saúde! As pessoas estão sofrendo o descaso que são esses atendimentos e a falta de medicação.

  2. Já faz um bom tempo que a saúde dos atendimentos referente a saúde em Barueri está ruim e com a terceirização piorou, uma cidade com recursos, mas com tantos descasos, nos PS, nas UBS e também na Especialidades.

  3. Enquanto isso tem um mega hospital(JD Paulista ), que foi feito com a promessa de que seria um P.S depois central de covid, e por fim está lá vazio não fornecem atendimento a população que está em estado de emergência, lavagem de dinheiro que fala né .

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares