quinta-feira, maio 23, 2024
anuncio
HomeNana PequiniSomos todos cachorros vira-latas

Somos todos cachorros vira-latas

por: Redação

Compartilhe esta notícia!

Em tempos de transformações, Nana Pequini fala de duas características do povo brasileiro, o complexo de vira-latas e a Lei de Gérson

“…temos dons em excesso. E só uma coisa nos atrapalha e, por vezes, invalida as nossas qualidades. Quero aludir ao que eu poderia chamar de “complexo de vira-latas”. … Por “complexo de vira-latas” entendo eu a inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo…”  Nelson Rodrigues

Nana Pequini, é formada em História pela FFLCH-USP e em Arte Dramática pela EAD- ECA- USP. Foi professora de teatro das Oficinas Culturais de Barueri e diretora do Teatro Municipal. É dona de um vocabulário de 603 palavrões que utiliza no dia-a-dia. “Não sou de briga , mas não amenizo!”, sustenta.
Nana Pequini, é formada em História pela FFLCH-USP e em Arte Dramática pela EAD- ECA- USP. Foi professora de teatro das Oficinas Culturais de Barueri e diretora do Teatro Municipal. É dona de um vocabulário de 603 palavrões que utiliza no dia-a-dia. “Não sou de briga , mas não amenizo!”, sustenta.

Esse trecho de uma crônica futebolística de Nelson Rodrigues (um dos maiores dramaturgos nacionais) vive ecoando na minha mente…incessantemente.  É uma alusão ao mundo dos boleiros sobre o comportamento do brasileiro frente ao escrete da copa de 58, mas como Nelson coloca mais adiante, tal complexo também passa por ‘outros’ setores.  Não há como negar que esse “complexo de vira-latas” colou na alma juntinho com a famigerada “Lei de Gerson”.

Somos um povo que paga pau para a gringaiada e quer levar vantagem em tudo, cerrrto? Não adianta mentir! Não adianta fingir que não! A classe média queria Miami e o proletário queria ser a classe média para ir para Miami!

Sempre ouço de pessoas que nunca saíram do Brasil assertivas efusivas: “Só no Brasil, mesmo”….”esse povinho tem o que merece”.  Nos autorrogamos praga, não nos colocamos como nação.  Sempre a dualidade: eu certo, eles errados. E quando saímos do olhar umbilical : eles (gringos) são tão especiais e nós uns merdas! 

Meus amores sobre a ultima frase: É verdade! A mais pura, a mais ululante verdade! Somos um povo de merda!

Um povo que quer a Dinamarca, mas não quer a transformação para sê-la! Elogia o transporte publico de outros países ,mas troca de carro a cada 4 anos e não liga se o proletário vai todo amassado no trem!

Uma amiga outro dia veio toda falante trazendo boas novas sobre um casal amigo dela que teve um filho no exterior e recebem ajuda do governo! Olha que marrravilha! Um casal de imigrantes ganha beneficio do Estado!!! E este está ajudando tanto! Eles estão sem dinheiro, só ele trabalha…. Só que a minha amiga é contra o Bolsa Família! Essa merda vicia os pobres a não trabalhar! Oi?

Somos cachorros vira-latas que cheiram o rabo uns dos outros, que se pegam na rua, que querem roubar o osso do outro!  É melhor começarmos pela aceitação para mudar esse panorama triste.

Minha sobrinha, e não se chama Luiza, mora no Canadá.  Certo dia, a moçoila resolveu ir de bicicleta (meio de locomoção de uma esmagadora maioria) até o supermercado que ficava muito perto…uns 2 quilômetros.  Eis que ao sair já foi abordada por um homem em um carro que perguntou sobre os itens de segurança!  Outro também parou e fez a mesma pergunta. E como ela estava sem, ele retirou do carro um capacete, a fez colocá-lo.  E esperou ela fazer as compras e depois com a minha sobrinha já salva no lar, pegou de volta o capacete e deu um “chá de lavada” nela.   Claro! Obvio! Uma pessoa que se acidenta é uma grana que vai para ajudá-la na recuperação.  Conta do hospital, remédios, tempo sem trabalhar.  E isso é despesa para ele! Os impostos vem do bolso do cidadão! Eu pago a conta do seu acidente e o dinheiro que poderia ser investido na educação, cultura fica no conserto da tua cachola!

Ela me narra maravilhas sobre o Canadá! Um vizinho dela fez uma linda fonte de água para cachorros que estejam passando por lá! Outro colocou uma cadeiras no ponto do ônibus para as pessoas sentarem.

 E nós?!?! O que fazemos para a comunidade? Qual é o nosso conceito de comunidade ou social?

Nada!

A lei de Gerson que corre nas nossas veias nos faz deixar os ouvidos moucos, olhos que não veem.

Para mim a saída é única: EDUCAÇÃO

Somos incultos! A educação está sucateada e só ela é transformadora! O Estado quer deixar o povo nessa santa ignorância e aceitamos. Lindos cordeiros!

Lixo na rua? Educação! Pista de Cooper ? Educação!  A reflexão só vem por treino. E nossa sociedade mete o dedo na fuça de qualquer um que se sobreponha ao nosso querer individual!

Sim ! Somos cachorros vira-latas que defendemos os nossos ossos! Mas, que não caçam com a matilha. Ela não existe.

[sam_ad id=”20″ codes=”true”]

Postagens Relacionadas
- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!