quinta-feira, junho 13, 2024
anuncio
HomeCidadePossível omissão de policiais em briga do Bethaville será levada à Corregedoria

Possível omissão de policiais em briga do Bethaville será levada à Corregedoria

por: Redação

Compartilhe esta notícia!

Durante episódio de violência em padaria, equipe da Polícia Civil estava no local mas não interferiu mesmo quando chamada

Viatura da polícia esteve estacionada diante da padaria durante todo o episódio

O episódio envolvendo um cliente e o proprietário da padaria Empório Bethaville, ocorrido na quarta-feira, 31/1, será apresentado à Corregedoria da Polícia Civil para apurar possível omissão de policiais que testemunharam as cenas e não interferiram.

O caso, que ganhou repercussão nacional, começou com uma discussão entre Silvio Mazzafiori, dono do estabelecimento, e Alan Barros, que estava no local com amigos. Silvio dizia que ali era proibido o uso de laptops para reuniões e mostrava um comunicado exposto sobre as mesas e explicavs a proibição.

A discussão se intensificou e do lado de fora e o empresário perseguiu Alan com um pedaço de madeira para agredi-lo. Também afirmou que iria matá-lo. Toda a ação foi gravada e divulgada nas redes sociais e sites de notícias.

Alan afirma que mora em Dubai e está no Brasil para expandir seus negócios. Ele conta que por onde passa é normal fazer conversas de trabalho em restaurantes. Também diz que, no caso da Bethaville, todos estavam consumindo.

Alan registrou BO por ameaça

Nas imagens divulgadas é possível ver uma viatura da Polícia Civil diante da padaria. Em um dos vídeos, ouvem-se pessoas gritando para os policiais interferirem. Testemunhas afirmam que durante todo o tempo uma equipe de policiais civis fardados acompanhou a briga de uma das mesas, mas nenhum deles reagiu, nem mesmo ao ouvir os chamados.

Alan procurou a Delegacia de Barueri para fazer a denúncia. Ele diz que não conseguiu registrar o Boletim de Ocorrência, o que só teria sido possível quando voltou ao local com seu advogado, Leonardo Dechatnik, quando denunciaram o crime de ameaça e pediram a prisão preventiva de Silvio.

Agora, Leonardo e Alan afirmam que levarão o caso à Corregedoria da Polícia Civil para apurar a conduta dos policiais, tanto os que não intervieram para conter o agressor, quanto os que o atenderam na delegacia e se recusaram a fazer o B.O..

O Barueri na Rede procurou a Secretaria de Segurança Pública, questionou a conduta dos agentes e perguntou que providências serão tomadas. A pasta respondeu que a Corregedoria está aberta para receber a formalização da denúncia.

Postagens Relacionadas

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!