sábado, julho 13, 2024
anuncio
HomeRegiãoOsasco proíbe uso de mata-leão pela GCM após abordagem truculenta a ciclista

Osasco proíbe uso de mata-leão pela GCM após abordagem truculenta a ciclista

por: Redação

Compartilhe esta notícia!

Barbeiro foi agredido por dez guardas após ser abordado por transitar de bicicleta pelo calçadão

Após a abordagem truculenta da GCM a um ciclista que passava a caminho do trabalho pelo calçadão de Osasco, na terça-feira, 2/7, a prefeitura da cidade decretou a proibição do uso de golpes como o “mata-leão” durante abordagens feitas pela Guarda Civil Municipal (GCM).

O decreto foi assinado pelo prefeito Rogério Lins, do Podemos, na noite de quinta-feira, 4/7, e publicado no Diário Oficial Municipal na sexta-feira, 5/7: “É vedado aos agentes da Guarda Civil Municipal de Osasco, no exercício de suas funções, o uso de técnicas de estrangulamento, restando vedada a sua aplicação com qualquer parte do corpo ou com a utilização de qualquer tipo de instrumento”.

A decisão foi tomada após um barbeiro de 27 anos ter sido abordado e agredido por seis guardas por usar a bicicleta no calçadão da rua Antonio Agu. Gustavo Almeida, alega que pedalava a caminho do trabalho, quando um grupo de agentes disse que era proibido passar de bicicleta pelo local. Na sequência, houve uma discussão porque Gustavo pediu para que sua bicicleta não fosse apreendida, momento em que foi atingido com um jato de spray de pimenta no rosto e foi imobilizado com um mata-leão por três dos agentes.

O homem foi algemado e levado para outro lugar, onde, segundo afirma, foi agredido com cassetetes por dez agentes que faziam a ronda no calçadão.

Gustavo alega que foi constrangido na delegacia e que não pôde registrar a sua versão dos fatos. O caso foi registrado no 5º DP de Osasco como desacato e não faz nenhuma menção às agressões sofridas pelo barbeiro, que teve diversos hematomas espalhados pelo corpo e uma torção no braço. Ele realizou o exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal de Osasco.

Os policiais envolvidos na ocorrência foram afastados do trabalho nas ruas, devendo ficar em funções administrativas até a conclusão do inquérito interno, e a Corregedoria da corporação prossegue investigando o caso.

Postagens Relacionadas

1 Comentário

  1. Eu canso de fala mais a justiça não vê gcm foi criado para cuida do patrimônio da prefeitura e não sai fazendo papel da PM usando abuso de autoridade em quanto creche, hospitais ,oração está sendo furtadas e depredada por ladrões e a guarda trabalhando para o estado e recebendo da prefeitura um absurdo tem que acaba com isso ,a PMs tem 12,meses de treinamento e gcm quiser nada .

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!