quinta-feira, julho 7, 2022
HomeCidadeHomem morre após atirar contra GCMs e fazer família refém

Homem morre após atirar contra GCMs e fazer família refém

por: Redação

Desconhecido abriu fogo de dentro de um bar ao lado do terminal do Jardim Silveira. Houve tiroteio, ele manteve os proprietários reféns, mas acabou morto

ocorrencia-silveira2-2
Mais de dez viaturas entre GCM e PM foram acionadas.Fotos: BnR

Um homem ainda não identificado morreu na noite desta quinta-feira, 19/1, no Jardim Silveira, após abrir fogo, aparentemente sem motivo, contra agentes da Guarda Municipal e fazer quatro pessoas de uma família reféns.

Segundo testemunhas, por volta de 19h30 um desconhecido entrou no Bar Tokio, ao lado do terminal de ônibus, e pediu um conhaque. Ele aparentava estar nervoso. Instantes depois, uma viatura da GCM parou diante do estabelecimento e o homem começou a atirar contra os agentes.

viatura-gcm-baleada2
Viatura da GCM atingida por, pelo menos, dois tiros

Os guardas reagiram e houve intenso tiroteio, provocando pânico nos comerciantes e passageiros que aguardavam ônibus no terminal. Acuado, o homem levou sob ameaça o casal de idosos proprietários do bar e suas duas filhas para os fundos. Os tiros continuaram e os quatro reféns conseguiram se desvencilhar do agressor e se proteger num cômodo.

Nesse momento, uma das filhas do casal enviou mensagens por celular para o namorado e, numa delas, informou sobre a situação. Essa mensagem permitiu que os guardas soubessem que os reféns estavam seguros e onde se encontrava o atirador.

Os GCMs pediram reforço e, enquanto isso, avançaram pelo imóvel. Houve momentos de silêncio, seguidos de um disparo vindo de onde estava o homem, e quando os guardas chegaram a um pequeno banheiro nos fundos, o encontraram caído, já sem vida, com um ferimento por arma de fogo na altura do peito.

ocorrencia-silveira31
Bar Tokio, no calçadão do terminal de ônibus

Segundo o chefe da Guarda, comandante Guedes, a perícia vai determinar de onde foi disparado o tiro que causou a morte do desconhecido. Como sua roupa estava chamuscada no local de entrada da bala, há a hipótese de que ele tenha cometido suicídio. “Mas nenhuma possibilidade está descartada. Ele pode ter sido alvejado na troca de tiros e, ainda ferido, ter recuado para os fundos do estabelecimento, onde morreu”, afirmou o comandante.

O agressor estava armado com um revólver calibre 38, de cinco tiros, que ele chegou a recarregar, segundo relato de testemunhas. Apesar de nenhum guarda ter sido atingido, pelo menos dois tiros acertaram a viatura.

A ocorrência mobilizou mais de dez veículos da GCM e da Polícia Militar. A família proprietária do bar prestou depoimento no próprio imóvel e até as 23 horas  o local ainda estava isolado aguardando a presença da Polícia Científica, que faria a perícia e a identificação do atirador.

Postagens Relacionadas

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!