quinta-feira, junho 13, 2024
anuncio
HomeCidadeFalta de professor prejudica alunos em escolas de Barueri

Falta de professor prejudica alunos em escolas de Barueri

por: Redação

Compartilhe esta notícia!

Fieb Dagmar não tem docente de Física há quase dois meses. Na escola Osvaldo Batista Pereira, estudantes estão sem aula de Matemática

Depois de dois anos com as aulas presenciais suspensas, passados dois bimestres da retomada em sala de aula, alunos de pelo menos duas escolas de Barueri não estão tendo atividades previstas na grade curricular. No Recanto Phrynea, alunos estão sem professor de Matemática e em uma unidade da Fieb turmas estão há mais de um mês sem quem ensinasse Física. As queixas foram enviadas ao Barueri na Rede tanto por pais como por estudantes, preocupados com a aplicação das provas e avaliações no fim do semestre.

Na escola Osvaldo Batista Pereira, no Recanto Phrynea, mães relataram que alunos da turma do 6º D estão sem aulas de Matemática por falta de professor, que havia uma professora eventual, porém há dias que não tem nem a eventual e nem um professor fixo. “Somente com o inspetor de alunos na porta observando. Em algumas aulas o coordenador da unidade escolar vai na sala passar conteúdo, mas não há uma consistência na aplicação da disciplina”, contou uma mãe ao BnR. Em resposta ao caso, a prefeitura disse apenas que “está abrindo processo seletivo para suprir a demanda o quanto antes. É preciso cumprir alguns prazos legais”.

Já na Fieb Dagmar Ribas Trindade, no Jardim Maria Cristina, os alunos ficaram mais de 30 dias sem aula de Física, já que a professora titular estava afastava por licença médica e, segundo relatos feitos por uma aluna ao BnR, a turma do 1º ano do ensino médio ficava com as aulas vagas e eventualmente uma professora de Língua Portuguesa cuidava da sala. “Nós não temos conteúdo, não temos suporte ou um substituro que cubra a ausência, e mesmo assim vamos ter que fazer prova trimestral como de costume”. Uma das mães lembra que o escola, apesar de pública, utiliza material didático de alto custo e parte dele está sem uso. “Pagamos um absurdo em material didático para nossos filhos terem um ensino de qualidade e é esse o ensino que a FIEB está oferecendo”.

Em contato com a Secretaria de Educação, por meio da Secom, o BnR questionou a situação dos alunos, que ainda de acordo com o relato da estudante, atingia também mais três salas do 1º ano e uma do 3º. Em resposta, foi informado que após o retorno da educadora, “a professora foi convocada a assumir um cargo de Física em concurso público de outro município e, não sendo possível o acúmulo, a professora exonerou”.

Em relação ao conteúdo trabalhado e as avaliações, a responta foi que “a orientação educacional realizou pesquisa junto aos alunos verificando o conteúdo trabalhado nesse período”, e que o professor coordenador da área de Ciências da Natureza, que inclusive é professor de Física, “fará a análise do conteúdo visando a elaboração de questões para avaliação. Não será exigido dos alunos nada além daquilo que foi trabalhado”. A aluna enviou ao BnR fotos do que foi trabalhado em sala de aula: as lições não davam dois capítulos da disciplina.

Sobre a substituição da professora, a informação dada foi de que “a convocação para contratação do novo professor já foi publicada no diário oficial do município no dia 06/04”. Hoje, 25/4, o BnR entrou em contato com a aluna e fomos informados de que ainda não há um professor de Física para as turmas que ficaram sem aulas. “Continuamos sem professor. Os alunos fizeram a prova on-line onde todos se ajudaram. E semana que vem vão fazer a trimestral que todas as escolas da rede fazem. E essa prova é aplicada por outros funcionários da rede”, afirmou, preocupada com a nota, que pode comprometer o boletim escolar.

Postagens Relacionadas

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!