terça-feira, maio 17, 2022
HomeCidadeFalta de medicamentos agrava crise da Saúde em Barueri

Falta de medicamentos agrava crise da Saúde em Barueri

por: Redação

Entre unidades de saúde lotadas, aumento de casos de influenza e covid, remédios básicos não são encontrados nas UBS e Farmácia Central

O barueriense tem tido dias difíceis quando precisa de atendimento médico. Entre os sintomas de influenza, que incluem febre, dores no corpo, suspeitas de covid e um atendimento médico após horas intermináveis de espera, quando finalmente com a receita médica em mãos, vem a saga pelas farmácias das Unidades Básicas de Saúde (UBS).

O Barueri na Rede tem recebido diversos relatos de leitores falando da falta de medicamentos nas UBS e na Farmácia Central do município. Faltam desde remédios simples, como Omeprazol e Dipirona, até alguns receitados para controle dos sintomas da gripe e infecções que podem sugerir contágio pela covid.

“Depois de horas esperando, com febre e dores no corpo, para conseguir atendimento num PS lotado, saí com a receita médica e indicação para procurar os remédios na farmácia. Não consegui em nenhuma unidade de saúde o Ibuprofeno e Dexclorfeniramina”, contou um leitor ao BnR.

Há poucos meses, o prefeito Rubens Furlan, durante uma sessão pública na câmara dos vereadores, fez um discurso onde admitia que a decisão de mudar o modo de distribuição de medicamentos em Barueri foi um erro. Nas próprias palavras do administrador, “um erro que eu cometi há quatro meses atrás e quem está pagando é a população. Eu decidi mudar o jeito de distribuição nas UBS (…) mas erramos. E hoje está faltando remédio nas nossas farmácias”.

 

Em um comentário na matéria sobre a superlotação no atendimento médico em Barueri, uma leitora falou sobre a falta de uma medicação de uso comum. “Falta de remédios nas UBS e Farmácia Central. Há quatro meses não tem o básico do básico, por exemplo Omeprazol”, afirma.

Mais recentemente, um vídeo com outro pronunciamento feito por Rubens Furlan circulou pelas redes socais. Nele, o prefeito, acompanhando pelo vice Roberto Piteri, discursa na recepção de um dos PS de Barueri. lna Lúcia de Brito, a leitora que comentou na matéria sobre a superlotação, citou o vídeo e as afirmações de Furlan. “O prefeito esteve no pronto-socorro e prometeu até demitir quem não estivesse trabalhando direito, trocar a administração e cadê o que foi prometido? Continua tudo a mesma coisa e ainda pior”.

 

No meio de pacientes à espera de atendimento, Furlan foi incisivo ao afirmar que Barueri não tem problemas de recursos. “Uma coisa que eu não regulo é dinheiro para a saúde. O que está faltando é gestão (…), remédio não pode faltar mais, ou eu mando todo mundo embora (…). Ontem eu passei o dia doente por causa da saúde…”, afirma o prefeito em trechos do vídeo. Um leitor contou que quando foi tentar pegar remédio na Farmácia Central, na entrada do local havia uma atendente já avisando que alguns medicamentos estavam em falta.

O Barueri na Rede, por meio da Secom, fez as seguintes perguntas à prefeitura: Barueri está realmente com problemas no fornecimento de medicação? Qual o motivo para a ausência desses remédios? Há previsão de reabastecimento dos estoques? Até o fechamento desta reportagem, nenhuma questão foi respondida.

 

Postagens Relacionadas

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!