Clientes denunciam empresa de tecnologia de Barueri

0
1122
Compartilhe:

Companhia não teria pago hospedagem e teve conexão cortada, deixando milhares de clientes e seus parceiros sem acesso à internet

Desde a semana passada, milhares de clientes da Serverloft, empresa de hospedagem de sites situada em Barueri, estão desconectados da internet e impedidos de se comunicar com clientes e fornecedores, emitir notas fiscais e faturas e até de fazer a folha de pagamento. Eles afirmam que a Serveloft interrompeu o serviço por não ter pago por seis meses a Equinix, companhia de datacenter responsável pelo armazenamento de dados.

Quando começaram os problemas, por volta do dia 14/11, a Serverloft alegou que se tratava de falhas técnicas e que estava procurando saná-los rapidamente. Depois, alegou que enfrentava problemas jurídicos e que em 60 dias voltaria a atender normalmente. “Você imagina nesta época do ano ficar sem acesso ao servidor por dois meses”, alega o dono de uma loja que tem a maior parte de seu negócio focado nas vendas on line.

A partir da interrupção da conexão, os empresários passaram a procurar pelo proprietário da Serverloft, Paulo Roberto Zivieri, sem sucesso. O atendimento da empresa foi desativado pelo call center e pelo próprio site. O Barueri na Rede tentou localizar alguém que falasse pela Serverloft, mas não localizou ninguém.

Segundo o advogado Adriano Mendes, que representa parte das vítimas, a Equinix afirma que notificou a Serverloft várias vezes e informou sobre os riscos que ela corria. Finalmente, interrompeu a conexão com a empresa de Zivieri depois que ele ficou seis meses sem pagar pelo serviço e nem tentar alguma forma de acordo para quitação da dívida.

A Equinix teria até concordado em reativar os servidores para que as empresas prejudicadas pudessem fazer backups de seus arquivos, mas Zivieri teria recusado. “Por alguma razão, ele quer manter seus clientes reféns”, diz o advogado.

De acordo com Mendes, apenas entre os empresários que representa o número de atingidos pode chegar a 10 mil, mas os cálculos apontam para 16 mil prejudicados. Ele explica que quem estava hospedado na ServerLoft eram sites com grande volume de dados, como transações, informações de clientes ou históricos e, por isso, precisam confiar plenamente nos servidores.

Adriano Mendes afirma que este caso serve de exemplo para quem contrata serviços de hospedagem. “É preciso ter todo cuidado na hora de escolher”, afirma. “A Serverloft parece perfeita, é muito convincente, tem um site muito bonito e bem feito, um discurso moderno e uma página no Facebook cheia de depoimentos de clientes satisfeitos, mas acabou prejudicando milhares de pessoas.”

Compartilhe: