quarta-feira, junho 19, 2024
anuncio
HomeCidadePais continuam temerosos de ataques a escolas, apesar de garantia da prefeitura

Pais continuam temerosos de ataques a escolas, apesar de garantia da prefeitura

por: Redação

Compartilhe esta notícia!

Mesmo com garantias da Secretaria de Educação, familiares dizem não ter percebido reforço de segurança na porta das unidades escolares

Guarda reforçou presença apenas em algumas escolas e em horários restritos

Um vídeo da prefeitura garantindo segurança para os alunos das escolas municipais e a detenção de um menor de idade que teria disparado mensagens com ameaças de ataques a unidades escolares não foram suficientes para tranquilizar boa parte dos familiares de estudantes. Muitos deles estão dispostos a impedir que seus filhos vão às aulas por enquanto.

Como vamos confiar, se a prefeitura afirmou que aumentou a presença da GCM nas escolas, mas onde meu neto estuda não apareceu ninguém durante o dia”, escreveu uma avó. “A Guarda ficou na porta da escola das 7 horas às 7h30 e foi embora. É sério que eles acham que um agressor vai aparecer justamente na hora de entrada?”, perguntou uma mãe.

No vídeo que divulgou, a prefeitura mostra a estrutura de segurança disponível nas escolas e enfatiza o papel da GCM na garantia da segurança dos estabelecimentos. São mostradas cenas de guardas diante de escolas, incluindo agentes do Canil. No final, o secretário de Educação, Celso Furlan, afirma “pode mandar as crianças para a escola, que nós estamos garantindo a segurança”.

O Barueri na Rede conversou com familiares durante todo o dia e constatou que na maioria das unidades escolares não foi percebida a presença da Guarda Municipal. “Eles foram nas escolas citadas na mensagem de ameaça, mas não vimos em outros lugares”, diz postagem em grupo de mães.

Pela manhã, a Polícia Civil chegou a deter um adolescente que tinha postado ameaças em grupo de colegas que acabaram se espalhando pelo Whatsapp. Ele compareceu à Delegacia Central com os pais, que assinaram um termo se responsabilizando pelas ações do jovem. Em seguida, foram liberados. O caso será avaliado pela Justiça.

Como o autor das mensagens é menor, ele está sujeito a medidas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que podem ser advertência, prestação de serviços à comunidade, liberdade assistida, semiliberdade ou internação em estabelecimento educacional.

Em razão da idade, também de acordo com o ECA, seus dados não podem ser tornados públicos, nem o de qualquer pessoa que possibilite que ele seja identificado.

Ampliação pela região

A onda de mensagens que começou no fim de semana em Barueri começou a se espalhar pelos municípios vizinhos. Postagens com o mesmo teor ameaçador circularam em Jandira e Carapicuíba incluindo também escolas particulares.

Postagens Relacionadas

2 Comentários

  1. O policiamento não esta acontecendo em todas as escolas, principalmente nos menores da 1 série , maternal e pré. É um absurdo o descaço, com as nossas crianças. Precisa ter policial dentro da escola , fazendo ronda o dia inteiro, não só na porta da escola. Como vamos ter confiança deste tipo de atitude que recebemos.

  2. Osasco entre outras cidades vão instalar portas giratórias com detector de metal. A prefeitura de Barueri poderia instalar nas escolas municipais.

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!