quarta-feira, junho 19, 2024
anuncio
HomeCidadePaciente espera 19 horas no Sameb e só é atendido quando o...

Paciente espera 19 horas no Sameb e só é atendido quando o filho aciona a PM

por: Redação

Compartilhe esta notícia!

Idoso de 64 anos, com quadro de anemina, ficou sentado em uma cadeira de rodas por falta de macas e leitos

Paciente, de 64 anos, ficou 19 horas aguardando atendimento no Sameb e filho precisou chamar a polícia

Um descaso que está acontecendo com os moradores de Barueri que dependem do atendimento do pronto-socorro de Barueri. Em especial o Sameb”.

Esse é o desabafo de Daniel Magno, morador de Barueri há 30 anos, e que precisou levar o pai, Carlos Figueiredo, ao Pronto-Socorro Central (Sameb) no sábado, 17/6.

Ele contou ao Barueri na Rede que chegaram à unidade de saúde por volta das 20h30, com o senhor Carlos, de 64 anos, sofrendo com anemia. “Ele está com estado clinico de anemia, onde não come e nem consegue andar”, conta Daniel, sobre a fragilidade do estado de saúde do pai, à espera de avalição e pedido de internação para atendimento adequado. 

As horas foram passando e o paciente sentado numa cadeira de rodas, aguardando ser chamado. O dia amanheceu e o idoso continuava sem atendimento. No meio da tarde do domingo, 18/6, sem que houvesse qualquer movimentação no sentido de passar em consulta, por volta das 15 horas, Daniel decidiu tomar uma medida para que o pai fosse finalmente atendido e acionou a Polícia Militar. “Eu fiquei com meu pai, um senhor de idade, sentado em uma cadeira de roda por quase 20 horas, esperando vaga e macas para poder interná-lo, pois a direção do Sameb disse que eles estão com superlotação e não tem macas e leitos para pacientes”, contou ao BnR.

Carlos Figueiredo foi atendido depois que a PM foi ao pronto-socorro, mas contiuou sentando, sem leito disponível

A  situação no Sameb só se resolveu quando a PM compareceu ao local, garante Daniel, revelando que não foi a primeira vez que passou por situação semelhante inclusive com o pai, que já está adoecido faz um mês e meio. “Impunidades como essa não podem ficar assim, sem que haja cobrança dos responsáveis, e que comecemos a cobrar melhorias na saúde de Barueri”, exige o morador do Parque dos Camargos.

O pai, Carlos Figueiredo, foi atendido, e medicado, continuou sentado, mas agora numa cadeira, acompanhando pela irmã, tia de Daniel. Ao filho, a direção do Sameb disse que o local está com superlotação e não tem macas e leitos para pacientes. “E só construindo e reformando obras que muitas das vezes não têm prioridade como a saúde pública”, desabafou o leitor ao Barueri na Rede.

Postagens Relacionadas

5 Comentários

  1. Com relação ao caso do idoso,não é o primeiro e nem será o último, pois se repete diariamente,pois muitas vezes o municípe se veem obrigados a recorrer a outros municípios vizinhos, ou fazer empréstimos em cima de sua misera aposentadoria para pagar um médico particular, mas enquanto isso o prefeito fica antecipando campanha eleitoral ao invés de se preocupar com o próprio morador, e a câmara de vereadores em uma verdadeira sessão de babação de ovos cagando com o direito do povo que os colocaram em suas confortáveis cadeiras no legislativo, mas pessoal vamos nos lembrar dessas figuras no dia da eleição!! vamos aplicar o que aqui faz,aqui paga nas urnas!!!

  2. E eu, nora do sr Carlos figueiredo e esposa do filho Daniel, estou aqui para dizer que, ele ainda se encontra no hospital sendo medicado apenas com dipirona, um absurdo… se fosse para ser tratado com dipirona tínhamos deixado ele em casa no conforto do seu lar…
    Um absurdo o que passamos lá, desses quase 2 meses de correria com ele, já mandaram levar ele do P.S Parque dos Camargo para o P.S do mutinga por falta da mangueirinha que passa o soro… e fora outras humilhações, um absurdo… se continuar vamos entrar na justiça e lá está sendo levada a mídia essa noticia

  3. Pra começar sameb não existe há muito tempo. O serviço é terceirizados pela secretaria de saúde. Que deveria fiscalizar mas …

  4. Enquanto isso, quase todo final de semana tem “shows gratuitos” na cidade. Cultura é importante? Pode até ser, mas não prioridade absoluta enquanto pessoas passam horas com dor em uma cadeira. Bom, mas em se tratando de Sameb, é normal. Em 2019 minha mãe permaneceu por 3 dias internada com AVC nesse lugar. Só eu sei o que passamos nesses dias. Pelo visto nada mudou.

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!