quarta-feira, julho 17, 2024
anuncio
HomeCidadeChuvas: carros submersos, pessoas ilhadas e pane nos trens

Chuvas: carros submersos, pessoas ilhadas e pane nos trens

por: Redação

Compartilhe esta notícia!


Cinco mulheres ficam ilhadas em enchente no Tamboré. Trens circulam com velocidade reduzida.

As chuvas que caíram entre a manhã e início da tarde desta segunda-feira, 2/3, causaram enchentes nos bairros do Alphaville e Tamboré. A Guarda Civil Municipal foi acionada para resgatar cinco mulheres que se encontravam ilhadas em um automóvel na avenida Piracema. A saída para a Castelo Branco pela alameda Rio Negro também foi interrompida no início da tarde.

tanPor volta das 14h30 a água já havia baixado e a situação estava normalizada em ambos os bairros.

A circulação de trens da CPTM entre as estações Carapicuíba e Antonio João esteve interrompida entre 12h30 e 14 horas. A causa, segundo a CPTM, teria sido a queda de um poste de transmissão de comunicação e transmissão de energia.

Às 16 horas, o site da companhia informava que os trens circulavam em velocidade reduzida entre as estações Barueri e Itapevi e o Paese (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência) estava em ação para minimizar os problemas de transporte na área.

Alagamentos frequentes

As cheias na região do Tamboré são frequentes há cerca de 20 anos. Foram realizadas obras no bairro para tentar resolver o problema, como a canalização do córrego sob a avenida Piracema, mas o problema persiste.

Procurada pelo Barueri na Rede para falar sobre o alagamento desta segunda-feira, a prefeitura de Barueri afirmou em nota que seus técnicos vão “analisar cada ponto de enchente ocorrida na cidade e verificar quais os verdadeiros problemas que estão causando tais transtornos”.

Segundo a administração municipal, a cheia não foi causada pelo acúmulo de detritos na rede de captação de água. “As bocas de lobo estão sendo limpas constantemente, tanto que, quando a chuva diminui, a água é absorvida pelos sistemas de captação rapidamente”, diz a nota.

Sobre uma solução para o problema que já perdura há duas décadas, “um estudo de desassoreamento será iniciado para que o problema seja sanado em breve”, concluiu a gestão.

Postagens Relacionadas

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!