quarta-feira, julho 17, 2024
anuncio
HomeCHACINA DE OSASCOPromotor diz estar convencido da culpa dos acusados

Promotor diz estar convencido da culpa dos acusados

por: Redação

Compartilhe esta notícia!

Marcelo Oliveira diz ver provas suficientes para a condenação e rebate críticas do advogado do GCM Sérgio Manhanhã

Por Verônica Falco e Décio Trujilo

Para o promotor Marcelo Oliveira, responsável pelo caso da Chacina de Osasco, há provas, sim, da culpa dos quatro acusados pelos homicídios. Mas ele admite que o clamor público contribui para a manutenção da prisão do GCM de Barueri Sérgio Manhanhã e mais três PMs apontados como responsáveis pelos 17 homicídios (leia aqui o que foi a chacina).

promotorA defesa do guarda municipal alega que a única evidência que sustenta a acusação contra ele é um emoji que teria sido enviado pelo PM Victor Cristilder na noite dos crimes. O policial teria enviado a Manhanhã sinais de positivo no horário dos assassinatos. O advogado Abelardo Júlio da Rocha diz ainda que não há laudo oficial sobre a perícia dos telefones e que o Ministério Público e a Justiça estão agindo para atender à opinião pública (leia aqui a entrevista do advogado).

Falando ao Barueri na Rede, o promotor rebate as afirmações do advogado. Segundo Marcelo Oliveira, a principal prova não é apenas um ‘joinha’ no celular do guarda municipal de Barueri, são dois. “Um, pouco antes de começarem as execuções, e outro quando terminaram”, explica. Ele também aponta o fato de os acusados terem apagado as mensagens que trocaram entre si. “Quem apaga mensagens de celular sem ter uma razão?”, pergunta.

Oliveira afirma que Manhanhã e Cristilder entraram em contradições em seus depoimentos. Ele diz também que é difícil encontrar provas claras num caso como esse. “Eles são profissionais, sabem fazer esse tipo de coisa”, diz o promotor. “Além disso, construíram previamente álibis para provar que não poderiam ter participado dos crimes.”

Sobre a falta de laudo técnico na perícia dos telefones dos acusados, Marcelo Oliveira confirma o que afirma o advogado do guarda municipal, que se trata do trabalho de um policial do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). “É um instrumento usado pelos policiais que permite rastrear mensagens apagadas”, explica. O defensor de Manhanhã considera esse fato uma irregularidade flagrante.

O promotor admite que a manutenção da prisão do guarda municipal, que poderia aguardar o julgamento em liberdade, atende ao clamor público. De acordo com ele, soltar o guarda agora, às vésperas de ser julgado, causaria na população a sensação de impunidade. “A sociedade não suporta mais ver uma pessoa acusada de crimes graves ser solta uma semana depois”, afirma. “O acusado de participar de 17 homicídios é chefe de uma equipe de elite da guarda.”

Marcelo Oliveira diz estar convencido da culpa dos quatro acusados. E usa uma expressão que tem repetido, inclusive em seu twitter, para justificar a condenação: “Eles estão metidos até o pescoço nos crimes, combinaram e participaram das execuções com apoio e ação direta.”

 

Postagens Relacionadas

2 Comentários

  1. A minha opinião é a seguinte, de acordo com essas informações passada pelo Advogado de Sérgio, e da forma como foi procedida as investigações, é fato que a justiça Brasileira em envolvimento com a política estão mascarando uma investigação tendenciosa prendendo inocentes, e pelo que entendi nesta investigação estão relacionados: Delegados, Promotores, Secretário de segurança Pública e o Governador do Estado de São Paulo para garantir seus preciosos cargos enquanto os verdadeiros culpados ainda estão em liberdade.
    Enquanto isso Sérgio Manhanhã está tendo sua vida ceifada pelas mentiras e manipulações dos agentes do colarinho branco.
    Pelo que eu acompanhei esta investigação que era para seguir em segredo de justiça, sem explicação, teve seus detalhes transmitidos em todas as emissoras de Tv e rádio com informações falsas e manipuladas, lhe causando desembaraço e constrangimento. Com isso para mostrarem o mais rápido possível uma resposta para a sociedade.

  2. Promoto: Segundo Marcelo Oliveira, a principal prova não é apenas um ‘joinha’ no celular do guarda municipal de Barueri, são dois. “Um, pouco antes de começarem as execuções, e outro quando terminaram”, explica. Ele também aponta o fato de os acusados terem apagado as mensagens que trocaram entre si. “Quem apaga mensagens de celular sem ter uma razão?”, pergunta.

    Eu: Então quer dizer que o tal “joinha” só pode ser interpretado desta forma na comunicação entre agentes da segurança pública Senhor Promotor? Se fosse um cidadão comum não seria crime?
    Os agentes de segurança pública também não podem apagar dados ou mensagens de celulares, para ganhar espaço rígido no celular, que também serão interpretado como crime hediondo.

    Promotor: Oliveira afirma que Manhanhã e Cristilder entraram em contradições em seus depoimentos. Ele diz também que é difícil encontrar provas claras num caso como esse. “Eles são profissionais, sabem fazer esse tipo de coisa”, diz o promotor. “Além disso, construíram previamente álibis para provar que não poderiam ter participado dos crimes.”

    Eu: Contradições ?? É difícil encontrar provas claras? Então quer dizer que o tal “Joinha” é uma prova bem clara para o Srº Promotor!? ?
    Álibis? ? Segundo consta nos autos, Sérgio Manhanhã foi monitorado dentro do batalhão da guarda municipal durante as chacinas, prova que o MP não levou em consideração, porque será?! bode expiatório?

    Promotor: Sobre a falta de laudo técnico na perícia dos telefones dos acusados, Marcelo Oliveira confirma o que afirma o advogado do guarda municipal, que se trata do trabalho de um policial do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). “É um instrumento usado pelos policiais que permite rastrear mensagens apagadas”, explica. O defensor de Manhanhã considera esse fato uma irregularidade flagrante.

    Eu: Laudo técnico, perícia, já diz tudo, é um procedimento para garantir a legitimidade das investigações, ou sej, se o policial do DHPP usou uma ferramenta para rastrear mensagens apagadas, porque rastreou somente o tal do “joinha” e nada mais? Sem falar que o celular de Ségio foi levado sem mandado para esse procedimento! Agora vejam quantas irregularidades! Sendo assim o defensor de Sérgio Manhanhã, está corretíssimo em considerar esse fato uma irregularidade de flagrante!

    Promotor: admite que a manutenção da prisão do guarda municipal, que poderia aguardar o julgamento em liberdade, atende ao clamor público. De acordo com ele, soltar o guarda agora, às vésperas de ser julgado, causaria na população a sensação de impunidade. “A sociedade não suporta mais ver uma pessoa acusada de crimes graves ser solta uma semana depois”, afirma. “O acusado de participar de 17 homicídios é chefe de uma equipe de elite da guarda.”

    Eu: Concordo que é necessário elucidar os crimes cometidos naquele fatídico dia e punir os verdadeiros culpados, mas não em detrimento do direito à liberdade e ao contraditório que todo brasileiro tem. Que as autoridades apurem e punam, mas não elejam “bodes-espiatórios” e a eles imputem a culpa por algo que de fato não fizeram. A imprensa cumpre seu papel quando cobra celeridade e respostas a tantos questionamentos, mas é necessário imparcialidade, pois a vida de um homem de bem está de “pernas para o ar”, foi virada ao avesso; o bom nome e a reputação de um homem foi “jogada na lama”, com base em ilações e suposições, como o próprio promotor público declarou à Folha de São Paulo. O dano psíquico, psicológico e moral é irreparável, pois inocentes perderam a vida e, um outro inocente está preso!”.

    Promotor: Marcelo Oliveira diz estar convencido da culpa dos quatro acusados. E usa uma expressão que tem repetido, inclusive em seu twitter, para justificar a condenação: “Eles estão metidos até o pescoço nos crimes, combinaram e participaram das execuções com apoio e ação direta.”

    Eu: Espero que o Srº promotor mude sua opinião o mais breve possível, e seja realmente sensato, ou o Srº irá continuar cometendo uma grande, enorme e irreparável INJUSTIÇA!
    Conheça Sérgio Manhanhã!

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!