quarta-feira, julho 24, 2024
anuncio
HomePolíticaPrefeitura nega troca de secretário da Saúde de Barueri

Prefeitura nega troca de secretário da Saúde de Barueri

por: Redação

Compartilhe esta notícia!

Nas redes sociais, inclusive de pessoas do meio político, a afirmação de que a pasta da Saúde, que vem apresentando uma série de problemas, passaria por mudanças

Segundo a prefeitura, por meio da Secom, Dionísio Alvarez Mateos Filho continua sendo o secretário da Saúde de Barueri

Durante a última semana vem circulando a informação de que Milton Monti, que foi candidato a deputado federal na cidade com o apoio do prefeito Rubens Furlan mas perdeu a eleição, atual secretário de Governo do município, seria o novo secretário da Saúde de Barueri. A pasta, que está sob o comando do médico Dionisio Alvarez Mateos Filho desde 2019, vem passando por dificuldades na imagem diante das avaliações dos munícipes.

A suposta troca de gestor, que faria com que Milton Monti assumisse a pasta depois de quatro anos de gestão de Dionisio Alvarez Mateos Filho, que foi noemado interinamente em feveiro de 2019, e depois assumiu o cargo definitivamente, foi negada pela prefeitura ao Barueri na Rede na tarde de quarta-feira, 22/2.

A pasta, que vem passando por diversos problemas, é um dos maiores motivos de queixas de quem precisa utilizar os serviços públicos de Barueri. As reclamações incluem relatos de despreparo de funcionários e servidores no trato com pacientes, falta de medicamentos nas UBS e na Farmácia Municipal, superlotação nas unidades de saúde e prontos-socorros, filas intermináveis para conseguir realizar exames e falta de agenda para marcação de consultas  que vão desde clínico geral até as consideradas mais complexas, com especialistas.

Nas redes sociais de figuras do meio político de Barueri cirula a informação sobre Milton Monti como novo gestor da pasta da Saúde do município

Um dos exemplos dos problemas pelos quais passa a pasta da Saúde de Barueri é a reportagem publicada no dia 7/2 pelo BnR, onde foi revelado que vendas de consultas médicas, feitas por funcionários em cargos comissionados, teriam levado a prefeitura a adotar um esquema de agendamento que limita o acesso ao sistema a apenas um funcionário por UBS, gerando sobrecarga para alguns desses servidores, e impossibilidade aos pacientes de conseguir uma vaga para consulta.

Como de costume, antes de publicar a reportagem, o BnR procurou a prefeitura por meio da Secretaria de Comunicação (Secom) para apresentar as queixas e o que foi apurado, mas a resposta só veio duas semans depois, no mesmo dia em que foi negada a troca de secretários da pasta. Sobre os problemas apontados na matéria do BnR, a nota diz que “a Secretaria de Saúde através da Coordenadoria de Ações Básicas em Saúde (CABS) vem trabalhando na reorganização dos processos de trabalho em todas unidades sob sua gestão. Neste sentido, o agendamento passou momentaneamente por tal reorganização, podendo ter gerado impactos, entretanto focamos na busca de melhorias para o atendimento da população, de tal sorte que o problema destacado já se encontra em fase de regularização”, a prefeitura ainda afirma que “uma gestão por processos fortalece os serviçõs de forma sistêmica, favorecendo a melhoria em nível total”.

Por fim, sobre a dificuldade da população em conseguir agendamento, a resposta enviada nessa quarta-feira, 22/2, é de que foram implantadas diversas ações garantindo tal acesso, “como a reorganização das agendas e a implantação do acesso avançado, que garante o atendimento da demanda espontânea”.

Sobre as especulações na troca do secretário, a Secom afirmou que “até o momento não há nenhum comunicado oficial sobre isso“, o que mantém Dionisio Alvarez Mateos Filho como titular da Saúde de Barueri.

Postagens Relacionadas

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!