terça-feira, agosto 16, 2022
HomeCidadeCriança entra em coma após HMB recusar atendimento

Criança entra em coma após HMB recusar atendimento

por: Redação

Anderson, de quatro anos, caiu da janela de casa e precisou ser transferido para o hospital

Anderson Gabriel Gomes da Conceição, de quatro anos, caiu da janela de sua casa, no Jardim Mutinga. Segundo a tia da criança, depois de passar pelo PS do bairro e ser transferido para o HMB, a família passou por horas de recusa de atendimento, de medicação e realização de exames.

Na tarde da quinta-feira, 24/8, por volta das 14h30, segundo relatos da tia, Dalva, Anderson brincava com a irmã na cama do quarto da mãe quando se desequilibrou e sofreu o acidente, caindo do primeiro andar da residência.

O dono da casa onde a família mora, um policial, foi a primeira pessoa que socorreu o garoto, que estava desmaiado. Ao constatar que não havia nenhuma fratura aparente, decidiram levar a criança ao PS do Jardim Mutinga. No caminho, Anderson teve uma convulsão. No PS foi feito um raio-x e, ainda segundo relatos da tia, durante o exame apareceu a suspeita de uma hemorragia.

Diante do quadro, foi solicitada a transferência para o Hospital Municipal de Barueri (HMB). Dalva contou ao Barueri na Rede que, no HMB recusaram atendimento, alegando que ele antes deveria passar por um pediatra – mesmo que a médica que o acompanhava na ambulância desde o PS afirmase  que estava com o pedido para a realização de uma tomografia.

Esse impasse teria durado três horas, enquanto o menino aguardava entubado, dentro da ambulância – período em que teve a segunda hemorragia e que a medicação que tomava acabou. Nesse momento, o HMB teria se recusado a medicar a criança, fazendo com que a médica que a acompanhava prescrevesse uma receita para que a família comprasse os remédios.

Somente às 19 horas, depois de aguardar por mais de 30 minutos que uma medica do HMB viesse até a ambulância, e diante de ameaças da família de chamar a polícia, Anderson foi atendido e encaminhado para a tomografia – quando foi constatada a hemorragia cerebral.

Dalva relatou que enquanto era atendido, e ainda entubado, acabou o oxigênio que ajudava Anderson a respirar e, novamente, o hospital recusou a medicação. Segundo ela, o que salvou o sobrinho naquele momento foi que o médico, que teria atendido a criança e deixado o número de telefone com a família após o plantão, recorreu à Secretaria Municipal de Saúde para que liberassem a reposição do cilindro de oxigênio de Anderson.

Diante da gravidade do quadro, a criança foi transferida para o Hospital Geral de Pirajussara, em Taboão da Serra. A decisão foi tomada porque o HMB não tinha um cirurgião para operar o garoto. Já no Pirajussara, Anderson foi submetido à cirurgia e ao coma induzido.

Na tarde desta sexta-feira, 25/8, o quadro era grave, mas estável. A criança precisou passar por transfusão de sangue, permanece entubada, em coma e recebendo medicação por meio de cateter. Procurada pelo BnR para prestar esclarecimentos sobre o caso, a prefeitura não se pronunciou.

Postagens Relacionadas

Deixe sua resposta

Deixe seu comentário
Coloque seu nome aqui

- Advertisment -

Mais Populares

error: Conteúdo Protegido!