Saúde financeira do Ipresb preocupa prefeitura

0
2875
Compartilhe:

Membro da administração municipal mantido em sigilo declarou temor ao diretor financeiro do instituto

ipresbfora
A PF esteve na sede do Ipresb no dia 12 de abril cumprindo mandados de busca e apreensão

A prefeitura de Barueri está preocupada com a saúde financeira do Instituto de Previdência Social dos Servidores Municipais de Barueri (Ipresb). No fim do ano passado, um emissário da gestão municipal procurou o órgão para demonstrar esse temor e chegou a apresentar duas empresas de gestão financeira para o instituto. As informações estão na ata da reunião do Conselho de Administração do Ipresb realizada no dia 4/4.

Segundo o documento, a presidente do conselho, Lilian Danyi Marques Rampaso, convocou o diretor de Finanças do instituto, Francisco Gonçalves Junior, para prestar esclarecimentos sobre uma visita que o órgão recebeu no dia 18/1. No texto da ata, o visitante é sempre identificado como “agente político”, sem ter seu nome citado. O Barueri na Rede apurou que se trata de membro do primeiro escalão do governo municipal.

ipresbata1
Trecho da ata em que aparece a preocupação de agente do governo com a situação financeira do Ipresb/Reprodução

Esse agente esteve no Ipresb em novembro e dezembro de 2017, segundo Francisco, quando declarou sua preocupação com a gestão financeira do instituto. Ele estava acompanhado do advogado Alexandro Luis Pin. Depois, em janeiro, voltou ao órgão para cobrar o credenciamento das duas empresas que havia indicado anteriormente, a Asset Camargo, e a Reag. Foi informado pelo diretor financeiro que elas não haviam sido credenciadas ainda por causa de mudanças nas normas.

Nessa terceira visita, o membro do governo municipal mantido em sigilo estava acompanhado de Renato de Matteo Reginatto, conhecido consultor financeiro. Reginatto foi preso no dia 12 de abril durante a Operação Encilhamento, da Polícia Federal, que investiga fraudes contra institutos municipais de previdência. Nesse mesmo dia, como parte da operação, a PF esteve cumprindo mandados de busca e apreensão no Ipresb e recolheu computadores e documentos.

O Barueri na Rede procurou a prefeitura pedindo esclarecimentos sobre os motivos que levam a administração municipal a temer pela saúde financeira do Ipresb. Também perguntou quem é o membro do governo que tem visitado regularmente o instituto e teve o nome mantido em sigilo, até mesmo num documento oficial, bem como questionou o motivo do segredo. O BnR questionou ainda se a visita da Polícia Federal ao Ipresb no início deste mês tinha alguma relação com Renato de Matteo Reginatto. A prefeitura, no entanto, não respondeu a nenhuma das perguntas.

Compartilhe: