Polícia prende dois dos sequestradores de Carlinhos do Açougue

0
2370
Compartilhe:

Vereador foi vítima de bando que o sequestrou e manteve refém na própria casa junto com a família

A Polícia Civil prendeu nesta quinta-feira, 10/5, dois dos homens que sequestraram o presidente da Câmara de Barueri, Carlinhos do Açougue, e o mantiveram refém com sua família dentro de casa há um mês. A polícia espera chegar a outros criminosos a qualquer momento. Acredita-se que oito pessoas tenham participado do crime.

carly

O sequestro ocorreu no dia 11 de abril. Por volta de 8 horas, Carlinhos trafegava sozinho em seu veículo pela Estrada Velha de Itapevi quando um carro se aproximou e deu sinal para que ele parasse. Quando os automóveis emparelharam, um dos ocupantes do outro carro mostrou um papel para o vereador. Ele abriu o vidro e foi informado de que se tratava de um mandado de busca e apreensão.

Os homens mostraram distintivos policiais, usavam coletes da Polícia Civil e portavam metralhadoras e fuzis. Eles disseram a Carlinhos que o mandado judicial determinava que fizessem uma busca em sua casa. O vereador concordou e um dos homens tomou a direção do veículo e dirigiu até o condomínio onde ele vive, na divisa com Jandira.

Mas logo os supostos policiais passaram a dizer que o que queriam mesmo era um alto valor que diziam saber que havia na residência da vítima. Dentro da casa, pressionaram o vereador e a família a dizer onde estava o dinheiro, mas decidiram abandonar o local quando o interfone tocou. Levaram o carro de Carlinhos, celulares e o dinheiro que as pessoas portavam.

No próprio dia, a polícia identificou dois dos ladrões a partir de impressões digitais deixadas no carro do vereador, que foi encontrado poucas horas depois. São Josenir Matias da Silva, de 38 anos, e Vitor Alves de Andrade, de 22. O vereador identificou ambos em prova de reconhecimento feita na delegacia. Mas eles não são os dois homens presos.

Agora, a polícia tenta encontrar outras pessoas que participaram da ação. Acredita-se que eram oito criminosos e alguns deles já estão identificados e reconhecidos.

Foi a terceira vez que Carlinhos foi vítima de crime semelhante. Como os ladrões que participaram de cada ação são diferentes, mas a forma de agir e os termos usados em todas as ocasiões foram os mesmos, existe a suspeita de que a decisão de praticar os roubos tenha partido da mesma pessoa ou do mesmo grupo.

Compartilhe: