Pais alegam estar sendo obrigados a transferir filhos de escola

0
2632
Compartilhe:

Alunos do Elvira S. Nemer teriam de se matricular no Ivani Maria Paes, a quilômetros de distância

Depois de inúmeras reclamações recebidas e noticiadas pelo Barueri na Rede nas últimas semanas sobre a transferência de alunos que estudam em escolas da rede municipal para outras unidades, o site recebeu uma nova queixa, dessa vez sobre a Emef Profª Elvira Lefevre S. Nemer, na Vila São Jorge. Segundo os pais, a escola fez uma seleção com alguns estudantes para ser transferidos para EE Ivani Maria Paes, que fica a quilômetros de distância.

“Foi feita uma reunião apenas com alguns pais, há cerca de 20 dias. A escola informou que o encontro seria para matrícula de alunos, mas chegando lá estavam funcionários da Secretaria de Educação, que nos informaram que devido ao grande número de novos alunos vindos do Condomínio Inspire, há uma necessidade de abrir vagas para esses novos alunos”, contou o pai de uma aluna do 2º ano do Ensino Fundamental da Emef.

No bilhete é informado que os pais têm de 8 à 22/10 para matricularem seus filhos na EE Ivani Maria Paes./Fotos: Arquivo Pessoal
No bilhete os pais são informados que têm de 8 a 22/10 para matricular seus filhos na EE Ivani Maria Paes./Fotos: Arquivo Pessoal

Segundo o pai, além de abrir vagas para crianças que moram no condomínio Inspire, que fica próximo a Emef Profª Elvira Lefevre S. Nemer, os funcionários da escola alegaram que a escolha de quem será transferido foi feita por questão de distância. “Selecionaram os alunos que moram em ruas mais distantes para mudá-los de escola. Eu, por exemplo moro no Centro”, contou o pai.

De acordo com as famílias, durante a reunião do mês passado, os pais receberam um guia de encaminhamento da matrícula de seus filhos para a EE Ivani Maria Paes, que fica no Jardim dos Camargos, determinando o período de 8 a 22/10 para ser feita a transferência para a nova escola. Como não concordaram, criaram um grupo nas redes sociais que reúne pelo menos 13 famílias de alunos do 2º ao 7º ano da Emef. Nele, os pais alegam que foram obrigados a aceitar a mudança e criam um abaixo-assinado. “A escola estadual para onde querem mandar os alunos não tem nenhuma estrutura para as nossas crianças. O Ivani está em péssimas condições, além ser longe para nós, que somos moradores do Centro”, contou uma mãe no grupo.

Segundo o BnR apurou com funcionários da secretaria, o Elvira está com sobrecarga de alunos por causa do condomínio Inspire, com mais de 2 mil apartamentos, que foi construído próximo à escola sem nenhuma contrapartida, como construção de escola. Ao mesmo tempo, o Ivani Maria Paes, cujas atividades no Ensino Médio vêm sendo lentamente desativadas pelo governo estadual, teria espaço ocioso.

Em outro caso, Renata Coutinho, que mora na Vila Sargento José de Paula, conta que chegou a procurar pela escola, Secretaria de Educação e Conselho Tutelar para que a sua filha, que também está no 2º na Emef, não seja transferida para a escola estadual. “Cuido do meu pai que é cadeirante na parte da manhã e trabalho à tarde. Minha mãe é idosa e também cuida do meu pai. Preciso que a minha filha continue estudando perto, para que eu consiga levá-la.”

Outra questão abordada pelos pais no grupo de WhatsApp é que, segundo eles, foi aberta a exceção para uma moradora da mesma rua de Renata, a Damião Fernandes. Ela teria procurado pela escola e conseguiu fazer a rematrícula de sua filha na Emef Profª Elvira Lefevre S. Nemer. “Se uma mãe conseguiu fazer a rematrícula lá, vão ter que abrir essa exceção para todos. Temos direito’, esbravejou outra mãe de aluno do 2º ano, no grupo da internet.

Em outros casos noticiados pelo BnR, em que alunos seriam transferidos para outras unidades, como da Emeief Dorival Faria, Complexo Educacional Professor Carlos Osmarinho e Emmei Professora Maria José de Barros, após queixas e abaixo-assinados feitos pelos pais, os casos foram resolvidos e nenhum aluno já matriculado será transferido.

Já no caso da Profª Elvira, caso relatado nesta reportagem, a prefeitura, por meio da Secom quando questionada na semana passada: “A Secretaria de Educação informa que novos estudos foram efetuados e nenhum aluno já matriculado será transferido”.

 

Compartilhe: