Em Carapicuíba, MP pede que pai do prefeito deixe secretaria

0
1746
Compartilhe:

Promotora entende que prefeito cometeu nepotismo ao nomear o pai como secretário

O Ministério Público (MP) de Carapicuíba pediu à Justiça a anulação da nomeação do ex-prefeito da cidade, Luiz Carlos Neves, do cargo de secretário de Governo do município. Ele é pai do prefeito atual, Marcos Neves, O MP entendeu que se trata de um caso de nepotismo (contratação de parente por agente público), o que é vedado pela lei.

A promotora Camila Moura e Silva encaminhou ao Judiciário na terça-feira, 8/8, pedido de afastamento imediato de Luiz Carlos do cargo. Ela se baseou em decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) para casos semelhantes.

luizcarlos
Luiz Carlos foi prefeito de Carapicuíba entre 1983 e 1988

Segundo a Súmula Vinculante nº 13 do Supremo, a nomeação de “cônjuge, companheiro ou parente em linha reta, colateral ou por afinidade, até o terceiro grau”, viola a Constituição. Esse tipo de súmula tem efeito imediato em casos semelhantes analisados por outras esferas do Judiciário e diz respeito a nomeações promovidas pela União, Estados ou municípios em qualquer um dos três poderes.

O MP agiu após receber duas denúncias. Antes, um abaixo-assinado eletrônico recolhia assinaturas para ser enviadas ao MP e à Câmara Municipal pedindo a demissão de Luiz Carlos. O ex-prefeito foi nomeado pelo filho no dia 24/7.

Agora, caberá ao juiz que receber o pedido do MP decidir se acolhe o pedido ou não e também se determina o afastamento do ex-prefeito imediatamente.

Pai e padrinho político

Luiz Carlos, que foi prefeito em Carapicuína de 1983 a 1988, teve grande importância na carreira política do filho. Foi ele quem estimulou o atual prefeito a ingressar na vida pública, apoiando a candidatura vitoriosa de Marcos Neves à Câmara Municipal no ano de 2000. Depois, esteve ao lado do filho em sua eleição como deputado estadual, em 2010 e 2014.

Compartilhe: