HMB continua sem medicamentos para quimioterapia

0
599
Compartilhe:

Instituto de Câncer Dr. Arnaldo, que fornece os quimioterápicos ao hospital, alega dificuldades para a aquisição dos remédios

O Hospital Municipal de Barueri (HMB) continua sem medicamentos para o tratamento de quimioterapia de pacientes com câncer. Mais de 20 dias após reportagem publicada pelo Barueri na Rede sobre a falta quimioterápicos no hospital (relembre), a situação continua sem solução.

E.B., de 44 anos, informou ao BnR que nesta semana completará um mês sem realizar sua sessão. “Não faço minha sessão de quimioterapia por falta de medicamentos. Na semana passada, chegaram a me ligar pela manhã agendando a sessão, mas no mesmo dia à tarde, voltaram a me ligar cancelando”, conta. E.B., que tem câncer no intestino e faz quimioterapia no HMB desde junho. “Estou no meio do tratamento”, lamenta.

Em setembro, o BnR questionou o HMB sobre a falta de insumos. O hospital alegou que o tratamento do câncer em Barueri é possível graças a um convênio entre a Secretaria Municipal de Saúde e o Instituto do Câncer Arnaldo Vieira de Carvalho (IAVC), e que a instituição enfrentava dificuldades para adquirir os medicamentos.

O BnR procurou novamente o HMB que, em nota, informou que “serve apenas como local para aplicar a medicação e não tem recebido os insumos do convênio com o IAVC”. E completa que a “Secretaria de Saúde está empenhando todos os seus esforços para que a situação seja normalizada o quanto antes”. 

Já o IAVC esclarece que “permanecem as dificuldades para a aquisição de medicamentos;  no entanto, tem empreendido esforços de toda ordem para que os pacientes não sofram descontinuidade prolongada em seus tratamentos”. A nota afirma que a instituição “tomou as necessárias providências para que, a partir da próxima quarta-feira, dia 17, esteja normalizada a situação, com relação aos medicamentos quimioterápicos”. Apesar da irregularidade no fornecimento, o IAVC afirma que mantém o “compromisso que nenhum paciente será prejudicado nos ciclos de tratamento. Todos serão avaliados pelas equipes médicas e receberão as aplicações”.

Compartilhe: