Em vídeo, Furlan diz que fechará “portas da saúde” para pacientes de fora

0
3483
Compartilhe:

Fala do prefeito refere-se aos médicos cubanos que trabalham em cidades vizinhas e retornarão a seu país

O prefeito Rubens Furlan divulgou um vídeo em suas redes sociais no início da tarde da quinta-feira, 22/11, dizendo que fechará as “portas da saúde” de Barueri para pacientes de cidades da região. A fala do prefeito ocorre com a saída dos profissionais de saúde cubanos do programa Mais Médicos nos municípios vizinhos.

No vídeo, Furlan revela que soube pela manhã de que médicos cubanos que trabalham em Carapicuíba, Jandira e região retornarão a Cuba. “Se os prefeitos não repuserem esses médicos, vão cair tudo aqui no Sameb (Pronto-Socorro Central) e tudo na nossa saúde”, diz Furlan em tom alterado.

Furlan então direciona sua fala aos prefeitos da região: “Se vocês não investirem na saúde da cidade de vocês, vou ser obrigado a fechar as portas para os seus munícipes”, afirma. “Ei, ‘prefeitaiada’, vocês estão numa zona de conforto. Vocês foram eleitos para cuidarem da saúde, da educação, da infraestrutura e vocês abandonaram o item saúde. Imaginem vocês se eu fecho as portas da saúde de Barueri pro povo da cidade de vocês. O que vai acontecer?”, completa.

Projeto para governador e leitos em hospitais particulares

Na semana passada, também em vídeo publicado nas redes sociais (veja aqui), Furlan disse que irá terraplenar uma área de 60 mil metros na região do Jardim Paulista, fazer o projeto e levá-lo ao governador eleito João Dória, assim que ele assumir em janeiro. “Vou fazer um projeto de um novo hospital, só que não municipal. […] Governador, este projeto está pronto. É só licitar e começar a fazer a obra”, afirma o prefeito.

Ele diz ainda que a região precisa de um hospital regional, pois o “municipal [Dr. Francisco Moran] não está aguentando mais” e que, com todos os esforços que está fazendo, não deixará ninguém perecer por falta de saúde.

No vídeo, Furlan também diz que consultou o Departamento Jurídico da prefeitura e estuda alugar leitos e centros cirúrgicos de hospitais particulares para o atendimento exclusivo de pacientes de Barueri. “Se não tem vaga aqui no Moran, colocamos lá”, diz o prefeito.

Sobre o Mais Médicos

O Programa Mais Médicos foi instituído em 2013 por meio de uma parceria do governo brasileiro com Cuba, que enviou profissionais para atuar nas unidades básicas de saúde do país. Com a troca da presidência no ano que vem, Cuba decidiu, na semana passada, pela retirada de seus médicos do programa.

Barueri não tem nenhum médico cubano em seu quadro. Todos são brasileiros, conforme informou a prefeitura, por meio da Secretaria de Comunicação (Secom), ao Barueri na Rede. “Os médicos inerentes do Programa Mais Médicos que atuam em Barueri (oito, ao total) são todos brasileiros. Eles atuam nas seguintes unidades: UBS Armando Gonçalves de Freitas, UBS Amaro José de Souza, UBS Jose Francisco Caiaba, UBS Edini Cavalcante Consoli, UBS Hélio Berzaghi e UBS Maria Francisca de Melo”, informou a Secom. A Secom afirma ainda que como não há médicos cubanos na cidade, Barueri não será impactada.

Em Carapicuíba, 30 médicos de Cuba que atuam pelo programa devem permanecer na cidade até o fim de novembro. A prefeitura da cidade afirmou que está convocando médicos que foram aprovados nos concursos públicos que estão em andamento e que com relação aos pacientes que tinham consultas marcadas com os profissionais cubanos, serão readequadas as agendas médicas.

O Barueri na Rede procurou as prefeituras de Carapicuíba e de Jandira sobre o vídeo do prefeito Rubens Furlan, mas não obteve resposta até o fechamento desta matéria.

Na última terça-feira, 20/11, o governo federal publicou um edital para substituir os médicos cubanos, com a abertura de mais de 8 mil vagas (veja aqui). As inscrições estão abertas até o dia 25/11 e os interessados têm até 7/12 para comparecer no município escolhido.

Compartilhe: