Barueri vence Osasco mas perde o Paulista no set de desempate

0
290
Compartilhe:

O Barueri se superou, não desistiu um só momento, disputou o jogo ponto a pontos e perdeu nos pequenos detalhes

voleidentro1
As duas equipes se revezaram na frente do marcador durante os seis sets disputados nesta sexta-feira/Foto: Barueri Esporte Forte

Faltou pouco. As meninas do Barueri/Hinode foram gigantes na noite desta sexta-feira (13). Venceram o Osasco/Nestlé, quebrando uma invencibilidade de 23 partidas do adversário em casa, calaram o ginásio lotado e disputaram o set de desempate até o último ponto. Mas o título paulista ficou mais uma vez com o Osasco, pela sexta vez consecutiva.

Depois da vitória em Barueri na primeira partida por 3 a 0, o Nestlé entrou em quadra para o jogo decisivo no ginásio José Liberatti com todo o favoritismo a seu lado. O início do primeiro set parecia confirmar essa tendência. O Osasco saiu na frente e controlava o jogo. Mas, orientado pelo técnico José Roberto Guimarães, o Hinode foi se ajustando em quadra e equilibrou a partida. Mesmo assim, o Nestlé esteve para fechar o jogo quando fez 24-23, mas o Barueri não se entregou e virou em 26-24.

A vitória parcial embalou o Hinode, que começou o segundo set a todo vapor. O time se manteve na frente do placar até 18-18, quando o Nestlé virou. Mas nenhum dos times conseguia abrir vantagem e o Barueri acabou fazendo 2 sets a zero ao fechar a parcial em 25-23.

A vitória barueriense surpreendia a todos no ginásio. O Osasco voltou à quadra com outra disposição e se impôs, abrindo uma vantagem de dez pontos (14-4) e dando sinais de que fecharia o período sem dificuldade. Mas o Barueri reagiu novamente e no fim do set ameaçava vencer outra vez. O placar chegou a 23-23, mas o Osasco fez os dois pontos seguintes e voltou a respirar no jogo. O Barueri começou melhor o quarto set, fez cinco pontos de frente e caminhava seguro para a vitória. Mas o Nestlé se recompôs, virou o marcador e empatou a partida ao fechar a parcial em 25-22.

No tie-break, o Barueri começou melhor de novo e fez 7-2. O Osasco reagiu, diminuiu a diferença mas não conseguiu virar e o Hinode acabou fechando em 15-12. Era a primeira vez que o Nestlé perdia em casa depois de 23 partidas. Como cada time venceu uma das partidas da final, foi necessário jogar o Golden Set, o set de desempate cujo vencedor ficaria com o título.

A tensão era grande e a frente do placar virou várias vezes de mão. O Osasco chegou a fazer 17-13, mas o Barueri não desistiu e empatou em 23-23. Porém, no momento de decidir, prevaleceu a força do Nestlé, que fez 25-23 e conseguiu o hexacampeonato.

Emocionada ao fim do jogo, a capitã Érika lamentou o fato de o time ter chegado tão perto e deixado o título escapar nos destalhes. “A equipe mostrou que tem caráter, que tem vontade. A gente sabe que o Osasco tem jogadoras muito mais caras que a gente, mas a gente mostrou que é capaz de reverter essa história” afirmou.

Ela não deixou de elogiar a iniciativa do técnico José Roberto Guimarães, que montou o time há um ano na cidade. “O projeto é tão lindo, tão bacana, O Zé merecia também, porque ele abriu as portas da casa dele pra gente. Mas eu tô feliz porque a equipe hoje lutou até o final.”

Barueri e Osasco voltam a se enfrentar na próxima terça-feira, 17/10, às 19h30, no ginásio José Correa, na abertura da Superliga de vôlei feminino 2017/2018.

Compartilhe: