Assédio, agressões, mortes: os crimes se repetem em Barueri

0
2462
Compartilhe:

Relato de crimes contra a mulher noticiados pelo Barueri na Rede desde 2016 

violencia-abre

De junho de 2016 até novembro de 2017, o Barueri na Rede noticiou inúmeros casos de violência contra a mulher na cidade. Dando sequência em nosso especial, reunimos 19 notícias que envolveram algum tipo de agressão à mulher.

O primeiro caso, noticiado pelo BnR, é de uma idosa de 71 anos que em uma tentativa de assalto foi arrastada pela rua da Prata, no Jardim dos Camargos. Ela caminhava pela calçada quando foi abordada por um criminoso de 18 anos, que tentou roubar sua sacola. O assaltante a derrubou no chão e, ao perceber que ela segurava a alça da sacola, passou a arrastá-la até desistir do roubo. Pessoas no local impediram a fuga do criminoso, que foi preso em flagrante por agentes da GCM que passavam pelo local. O crime ocorreu na noite do dia 14 de junho de 2016. (matéria completa)

Já em 19 de outubro do mesmo ano, uma cozinheira, moradora do Jardim Silveira, foi morta após cobrar dívida de R$ 2 mil de um mestre de obras e o ajudante. Eliana Gomes da Silva, de 46 anos, estava desaparecida fazia três dias. Ela foi enforcada e teve o corpo esquartejado pelos agressores. Seu corpo foi encontrado na estrada Fernando Nobre, em Jandira. O ajudante, Cláudio José da Silva, de 26 anos, havia pego o dinheiro emprestado com a cozinheira e, após concluir que não conseguiria pagar a dívida, chamou a vítima para ir até sua casa e cometeu o crime com a ajuda do amigo. Segundo familiares, o próprio acusado levou a polícia ao local. Os dois foram presos por homicídio doloso e ocultação de cadáver. (matéria completa)

No começo de 2017, em 5/1, o médico Roberto Rivetti Suelotto, de 63 anos, foi preso em Araçatuba. Em 2009, ele havia sido condenado pela Justiça de Barueri a dez anos e oito meses de prisão por estupro de vulnerável, permanecendo seis anos em liberdade enquanto recorria da sentença. Mas em 2015 foi emitido um mandado de prisão contra ele, e desde então Suelotto era considerado foragido pela Justiça. O crime ocorreu em 2003, quando ainda morava em Alphaville. A criança violentada pelo médico tinha dez anos e era neta da mulher com quem Suelotto se relacionava na época. Policiais civis do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) e Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos (Garra) realizaram a prisão. A defesa do médico voltou a recorrer contra a sentença. Segundo os advogados, há inconsistências no processo e depoimentos contraditórios. (matéria completa)

casal

Ainda em janeiro, Marcelo Pereira dos Santos, de 31 anos, matou a própria esposa, Gisele dos Santos, degolada a golpes de faca. O crime ocorreu no dia 6/1 na rua Gabriela, no Parque dos Camargos, diante do filho do casal, de dois anos de idade. Por volta de uma hora da manhã, os vizinhos foram surpreendidos com uma discussão dos dois, casados desde 2009. Após gritos de Gisele, a polícia foi acionada, mas ao chegar ao local, já a encontraram morta. Marcelo fugiu saltando uma janela de cerca de três metros de altura e machucou o ombro na queda. Ele foi preso pouco tempo depois pela GCM no Pronto Socorro do Parque dos Camargos. O BnR apurou que Marcelo seria usuário de drogas e pedia dinheiro à Gisele e aos vizinhos constantemente para comprar drogas. O filho do casal ficou aos cuidados da tia materna. (matéria completa)

Em 6/2, um homem atacou o genro e a enteada, que estava grávida, com uma faca em um conjunto habitacional da Estrada Velha de Itapevi, no Jardim Paulista. Eric Mauricio de Oliveira Silva, de 23 anos, invadiu o quarto onde estava a enteada K.M.C., de 16 anos, e seu namorado, Alexandre Silva Gomes, de 22 anos. Segundo relatos do casal, Eric estava transtornado e atacou os dois com uma faca gritando que iria matá-los. O casal tentou se defender, mas foi atingido várias vezes. A jovem conseguiu escapar e pediu ajuda aos vizinhos – que já haviam chamado a polícia – enquanto seu namorado entrou em briga corporal contra Eric. Quando a PM chegou ao local, Eric estava morto e teria recebido três golpes de faca no peito. Alexandre ficou com ferimentos superficiais e alegou legítima defesa e da namorada, que sofreu ferimento profundo na altura da axila – a faca penetrou até poucos centímetros do coração. Após ser atendido, Alexandre foi encaminhado à Delegacia Central de Barueri e preso em flagrante por homicídio. Eric tinha histórico de consumo de drogas. (matéria completa)

Também noticiado em fevereiro pelo BnR, um homem de 44 anos foi preso em flagrante por cometer atos libidinosos contra uma menina, num condomínio de classe média na região do Parque Municipal. O crime ocorreu no dia 12/2 e, segundo depoimento da criança, ela estava brincando com o irmão dentro do condomínio, onde também estavam outra criança e uma mulher que a acompanhava. Assim que a menina ficou sozinha com o irmão, o acusado entrou no local, iniciou uma conversa na qual perguntou idade, altura, peso e em qual torre morava. Ele pediu para ela se aproximar e comparar a altura de ambos, quando a abraçou. O homem continuou usando de subterfúgios para atrair a menor, colocando-a, inclusive, em seu colo. Assustada, a garota se soltou, pegou o irmão e os dois voltaram para o apartamento, onde ela relatou o ocorrido. A mãe da garota entrou em contato com a Guarda Municipal, com a administração do condomínio e foi à Delegacia Central de Barueri. Com o relato contundente da garota, o delegado Ronald Luiz avaliou ter indícios suficientes para determinar a prisão em flagrante e solicitar a prisão preventiva do agressor, que negou as acusações. (matéria completa)

A noite de 13 de março ficou marcada por dois casos de feminicídio, um ocorreu no Engenho Novo e outro no Jardim Califórnia. Joseane Lopes, 34 anos, foi assassinada a facadas pelo ex-marido, Almeir Alves Andrade, de 39 anos. A vítima tinha descoberto recentemente estar grávida e, mesmo separada, precisou ir até a cada do ex-marido pegar o documento de vacinação para realizar o pré-natal. Joseane foi acompanhada das duas irmãs, que aguardaram na sala, enquanto ela foi com o marido até o quarto pegar o documento. Depois de supostamente ter subido numa cadeira para apanhar o papel no guarda-roupa, Almeir atacou a gestante com golpes de faca, atingindo a região do pescoço e um dos braços. Ele tinha histórico de agressões contra Joseane. Outro caso que ocorreu naquela mesma noite foi o que envolveu a professora Marineide Ferreira, de 35 anos. Ela foi morta a tiros pelo marido, o Guarda Civil Ronaldo Ferreira dos Santos, 40 anos, dentro de casa no Jardim Califórnia. Vizinhos teriam ouvido pelo menos cinco disparos, e encontraram o corpo da professora no chão da cozinha e do GCM, que cometeu suicídio após matar a esposa. Ela lecionava em Osasco e ele trabalhava em Santana de Parnaíba. Estavam casados há menos dez anos e tinham um filho de cinco anos. (matéria completa)

Um assalto resultou em um corte na cabeça da costureira Conceição Aparecida Assunção, de 49 anos, no dia 20/3, na passarela sobre a rodovia Castelo Branco, que liga a Vila Boa Vista ao centro da cidade. Ao ser abordada por dois assaltantes, aparentemente menores de idade, sem oferecer resistência, a vítima teve sua bolsa e blusa roubadas, foi agredida e rolou pela longa escada após ser empurrada pelos criminosos. Conceição foi encontrada caída no final da escada por estudantes que passavam pelo local e que acionaram a polícia e sua família. Ela foi socorrida no Pronto Socorro Central e precisou receber pontos para fechar um corte na cabeça. Conceição frequenta uma casa espírita na rua Marcelina Chalupe, próximo ao Teatro Municipal e utiliza a passarela na volta para casa. (matéria completa)

Parece até história repetida, mas no dia 26/3, outra mulher foi morta a golpes de faca, dessa vez pelo ex-cunhado. Suzamare dos Santos Catarina, de 32 anos, foi assassinada por Tiago Barbosa de Farias, 40 anos. Segundo conhecidos, eles tinham desavenças pessoais desde quando ela vivia com o irmão dele. O crime ocorreu perto da esquina das ruas Roterdã e Antuérpia, no Recanto Phrynea. Após uma discussão entre os dois, Tiago apanhou uma faca e saiu à procura de Suzamare. Assim que a encontrou, caminhando com a filha de quatro anos, realizou o ataque. Segundo a médica que atendeu a vítima no PS do Parque dos Camargos, Suzamare tinha mais de 20 marcas de perfuração no peito e nas costas. Tiago teria consumido cocaína antes do crime, de acordo com a PM, que o prendeu em flagrante após sua confissão. (matéria completa)

No dia 1º de maio, outro caso de feminicídio. Aguinaldo Cordeiro de Moraes, de 36 anos, assassinou a ex-esposa, Jailma Maria do Nascimento, 33 anos, aparentemente por ela se recusar em reatar a relação dos dois. Jailma teria se separado de Aguinaldo há cerca de três meses justamente por causa das agressões que sofria do parceiro. Desde a separação, Aguinaldo vigiava a casa onde a ex-mulher vivia, fazia visitas a contragosto e a tinha agredido fisicamente há cerca de 15 dias. Jailma chegava em casa por volta das 20 horas, quando desceu do carro, foi repentinamente abordada por Aguinaldo, que passou a golpeá-la na altura do peito. Eles foram casados por cinco anos e tinham uma filha de dois anos. Ela ainda era mãe de outros dois meninos de um casamento anterior, de 10 e 14 anos de idade. (matéria completa)

janela

Na manhã de 22/6, um homem matou a ex-mulher a tiros enquanto ela dormia, ateou fogo à casa e suicidou-se em seguida. O pedreiro José foi casado por muito tempo com Martina e estavam separados havia alguns anos, porém José não aceitou bem a separação e costumava importunar e ameaçar a ex-mulher. Ele chegou repentinamente à casa onde Martina vivia com o filho e a nora, na rua Carolina, no Parque dos Camargos, disparou vários tiros contra ela. Assustados, filho e nora saíram para a rua, mas enfurecido, o pedreiro ateou fogo na casa e matou-se com um tiro na cabeça. Os bombeiros foram chamados para conter o fogo que destruiu a parte interna do sobrado. (matéria completa)

annaa

No dia 28 de junho, o açougueiro José Carlos de França entregou-se à polícia, quatro meses após ter matado a ex-namorada Anna Rodrigues de Freitas na casa dela, no Parque do Camargos. O crime ocorreu em 19/2, um domingo no qual Anna voltava da igreja quando encontrou José na casa dela. Ele diz que teria ido ao local para pedir que a vítima não o procurasse mais, porém, testemunhas afirmaram que o homem havia saltado a janela para entrar na residência e tirado as lâmpadas dos bocais para deixar o local escuro. Ele negou. Segundo a versão de José, Anna ficou enfurecida ao vê-lo na casa e o atacou com um canivete. Ele conseguiu desarmá-la, mas ela pegou uma faca de cozinha e investiu outra vez contra ele. Assim, ele desferiu um golpe de canivete contra a mulher e, na luta corporal, voltou a atingi-la mais duas vezes. A cena foi acompanhada pela filha da vítima, de 11 anos. Durante o tempo em que estava foragido, José alega ter vagado por casas de amigos na capital e disse que chegou a viver um tempo na Cracolândia. (matéria completa)

No dia 16/8, a GCM prendeu um homem de 26 anos após receber uma denúncia anônima de que um rapaz estava agredindo uma mulher dentro de um Fiat Punto preto, em frente ao terminal do Jardim Silveira. Chegando ao local, os guardas notaram que a jovem, identificada como A.S.R.S., de 22 anos, estava com o nariz e a boca sangrando. Ela foi agredida por R.R.D., de 26 anos, que foi preso em flagrante. No carro foram encontrados nove pinos de cocaína e uma porção de maconha. O agressor estava agressivo e os agentes da GCM tiveram que deitá-lo no chão para algemá-lo. A vítima foi encaminhada ao PS dos Camargos, onde alegou já ter sofrido agressões em outras ocasiões. Os dois são vizinhos e moram na Estrada Velha de Itapevi. (matéria completa)

Do final de agosto ao início de setembro, o Barueri na Rede publicou quatro matérias (primeira, segunda, terceira e quarta) e um especial sobre o maníaco dos Camargos. Aires Anderson Braga da Silva, o Yogue, morador do vale do Sol de Jandira, cometeu pelo menos quatro crimes contra mulheres: um estupro consumado, duas tentativas de estupro e um assalto, que terminou com a sua prisão. O primeiro crime foi um estupro contra uma mulher de 37 anos no dia 25/8, na Estrada Velha de Itapevi. Após assaltar a vítima, o criminoso ficou furioso ao notar que o celular tinha senha. Nervosa, a mulher não conseguiu desbloquear o aparelho, e em um terreno baldio no Jardim Paulista, Aires cometeu o crime. Três dias depois, dia 28/8, na rua Gabriela, no Parque dos Camargos, ele anunciou assalto contra uma jovem de 21 anos. Mesmo após entregar seu celular e o dinheiro que tinha, o homem continuou puxando a jovem. Ela conseguiu se desvencilhar e fugiu. No dia seguinte, mais uma tentativa de estupro, dessa vez contra uma mulher de 39 anos na rua Renata, também no Camargos. Após anunciar assalto, Aires puxou a mulher até um escadão e, após a recusa dela, a atingiu na cabeça. O último caso ocorreu no dia 4/9 no Jardim Silveira. O criminoso abordou outra mulher com uma tesoura, pedindo seus pertences. Outra mulher passava pelo local, viu a ação e perguntou se estava tudo bem. Assustado, ele partiu para cima da mulher, mas acabou lesionando o pé e fugiu. A vítima acionou a GCM, que prendeu Aires naquele dia. (matéria completa)

Em 28 de setembro, o BnR noticiou que um homem foi preso em flagrante acusado de abusar da filha de 13 anos. A irmã da menina parou uma viatura da Ronda Ostensiva Municipal (Romu) na região da Praça das Bandeiras, onde estava com a mãe. Ela havia recebido mensagens de whatsapp da irmã dizendo que o pai estaria tentando estuprá-la. Outras viaturas foram acionadas pelo rádio e GCMs escoltaram a jovem até a casa da família, no Engenho Novo. A adolescente disse aos agentes que o pai estava abraçando-a de uma forma estranha e teria colocado o pênis para fora. Em desespero, a menina enviou mensagens para a irmã mais velha. O pai da menina negou as acusações, mas durante o flagrante uma vizinha relatou que também havia sido molestada por ele, prontificando-se a depor contra o homem. Além da tentativa de abusar da própria filha, o homem deve responder por porte ilegal de arma de fogo, já que os agentes da GCM encontraram na casa uma espingarda calibre 28 e 22 munições. (matéria completa)

Em 16/11, Talita Oliveira, de 27 anos, moradora das Chácaras Marco, teve o rosto desfigurado a dentadas pelo ex-companheiro, Ricardo Willians. O homem não aceitava o fim do relacionamento de um ano e meio e decidiu se vingar. Depois do ataque, ele desapareceu e está foragido da polícia até hoje. Talita tem três filhos, um menino de nove anos e duas meninas, de relacionamentos anteriores. Durante o ano e meio de vida em comum, ele se mostrou violento e chegou a agredi-la no rosto, pois sabia que a companheira é muito vaidosa. Até que numa agressão mais forte, no começo do mês, ela decidiu romper o relacionamento e foi morar com a mãe. Ricardo insistia para que a companheira voltasse. Até que na manhã do dia 16, depois que a mãe de Talita saiu para trabalhar, ele invadiu a casa e perseguiu a moça, que estava com um filho de nove anos, até alcançá-la. Eles travaram luta corporal e Ricardo desferiu várias mordidas contra o rosto da jovem, a ponto de arrancar uma orelha e dilacerar o nariz dela. Talita foi levada para o Hospital das Clínicas, na capital. Desde então, vem sendo submetida a tratamento que inclui nove cirurgias. Após a agressão, Ricardo, que tem família em Barueri, fugiu e está desaparecido até hoje. Na sua ficha de antecedentes consta uma agressão contra dois PMs, também a dentadas, durante uma abordagem. (matéria completa)

Compartilhe: