Aliança bate Ponte por 4 a 2 é e bicampeão de futsal

0
409
Compartilhe:

Azulão levanta a taça novamente em jogo emocionante decidido apenas nos instantes finais

aliancatorcida
Aliança leva à taça até à torcida, que empurrou o tempo todo/Fotos: Campeonato Amador de Barueri

Com dois gols nos instantes finais, o Aliança, do Engenho Novo, bateu a Ponte Preta, do Jardim Belval, por 4 a 2 na tarde de sábado, 29/9, no ginásio José Correa, e tornou-se bicampeão municipal de futsal. O grande destaque da partida foi Giovane, autor de três gols.

Ponte e Aliança entraram em quadra como os dois últimos campeões de Barueri. A Macaca, campeã de 2016, tentava o título invicto, enquanto o Azulão buscava repetir o feito de 2017, quando levantou a taça. Na arquibancada, duas das maiores e mais fanáticas torcidas da cidade, empurraram seus times e esquentaram o clima da decisão.

O jogo, como era de se esperar, começou nervoso, com muitos erros individuais, e o Aliança tinha ligeira superioridade na posse da bola. E o placar foi aberto aos 4 minutos justamente numa falha da defesa da Ponte, que errou uma troca de passes dentro da área e deixou a bola para Giovani, livre, marcar seu primeiro gol da tarde.

A Ponte não sentiu o golpe e tentou igualar rapidamente, obrigando o goleiro William, do Aliança, a fazer duas defesas difíceis. Mas o time do Engenho respondeu na sequência e só não ampliou porque Alê começou sua série de defesas que iriam transformá-lo no grande destaque do lado da Macaca.

aliancadrible1
Partida teve grande equilíbrio e foi decidida nos 90 segundos finais

E foi em outra falha da Ponte, numa bola perdida na frente, que o Azulão fez 2 a 0, aos 9 minutos. Giovane avançou e deixou Paulinho livre para estufar a rede. Mas nem houve tempo para a Macaca sentir o golpe, pois na saída de bola Pedrinho reduziu para 2 a 1.

A alvinegra do Belval avançou então em busca do empate, abrindo espaço para as saídas rápidas do adversário, que criava as melhores situações de gol. Mas aos 12, em cobrança de falta, Pedrinho deixou tudo igual no marcador.

A partida ficou mais equilibrada, até que aos 16 minutos o goleiro William foi expulso por tocar a bola com a mão fora da área, desviando chute de Samarone que ia pra o gol. Durante o período em que esteve com um a menos, o Aliança se encolheu, mas a Ponte não aproveitou a vantagem para virar o placar.

aliancadrible2
Apesar da tensão, jogo foi disputado com lealdade e com poucas queixas contra a arbitragem

Com o time completo novamente, o Azulão comandou os minutos finais e a Ponte contou com sua tradicional raça e a grande exibição do goleiro Alê para segurar o empate.

O segundo tempo transcorreu com maior posse de bola do Aliança, enquanto a Ponte tentava o contragolpe. A pressão do Azulão foi aumentando e Alê fazia uma grande defesa atrás da outra. A igualdade permaneceu até o 18º minuto, o que interessava para a Ponte, que seria campeã com empate no tempo normal e na prorrogação.

Mas nos instantes finais, Giovane, que comandava as ações do Aliança, apareceu para definir. A um minuto e meio do fim, o time do Engenho saiu numa tabela rápida e o craque do Azulão recebeu o último passe dentro da área, quase sem ângulo, mas ainda assim acertou um chute fortíssimo sem defesa para Alê, fazendo 3 a 2.

À Ponte não resultava alternativa a não ser partir para o tudo ou nada. Assim, colocou em campo o goleiro-linha e tentou acuar o adversário. Mas acabou perdendo a bola na frente, justamente para Geovani, que do seu campo bateu com categoria e fez o seu terceiro gol da decisão, o quarto do Aliança. Faltavam 30 segundos para o final e não restava mais tempo para a reação ponte-pretana.

Apesar de toda a tensão que envolve uma decisão, a finalíssima foi jogada com lealdade e sem o exagero das queixas contra a arbitragem que se tornaram comuns em Barueri. O título coroou a boa partida dos campeões, que foram superiores na maior parte do jogo. A Ponte, como sempre, vendeu caro a derrota e valorizou o título do adversário com uma grande exibição. Giovane, com sua qualidade, liderança e seus três gols, foi o nome do jogo, enquanto Alê, goleiro da Ponte, mostrou que continua sendo um dos grandes goleiros da cidade e um craque que cresce nas decisões.

aliancatimeposado
Bicampeões de Barueri: Azulão leva o troféu para casa pelo segundo ano consecutivo
Compartilhe: